Banca de QUALIFICAÇÃO: BRENO MARQUES FERREIRA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : BRENO MARQUES FERREIRA DA SILVA
DATA : 02/04/2018
HORA: 08:55
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO:

Análise Probabilística de Estabilidade de Falésias no Litoral do RN.


PALAVRAS-CHAVES:

Estabilidade de Taludes, Análise Probabilística, Probabilidade
de Ruptura, Método de Monte Carlo, Recuo de Falésias.


PÁGINAS: 30
RESUMO:

A linha costeira do Estado do Rio Grande do Norte está em constante modificação. A
exuberância paisagística dessa região, constituída principalmente por praias arenosas e
falésias ativas da Formação Barreiras, representa um atrativo para a ocupação humana.
A urbanização potencializa a ocorrência de movimentos de massa e acelera o processo
de recuo costeiro. Esse processo representa um importante conflito socioeconômico,
associado a perdas de terras e riscos à população. Na prática atual, utilizam-se análises
de estabilidade baseadas em métodos determinísticos, para avaliar o risco de ocorrência
de movimentos de massa em uma determinada região. Entretanto, a variabilidade dos
parâmetros geotécnicos representa incertezas que não são levadas em consideração no
cálculo tradicional, isto é, o fator de segurança determinístico não traduz o estado do
talude com precisão. Dessa forma, o presente estudo utilizará o método probabilístico de
Monte Carlo, para analisar as condições de estabilidade e entender os mecanismos de
ruptura das falésias da praia de Barra de Tabatinga, no município de Nísia Floresta/RN.
Serão realizadas investigações de campo, ensaios de laboratório e análises
computacionais. As análises de estabilidade probabilísticas serão realizadas através do
programa Rocscience - Módulo Slide 7.0. Essa pesquisa utilizará métodos de procura
por superfícies não circulares, para representar efetivamente os tipos de rupturas
observados em campo. Adicionalmente, serão implementadas análises sensitivas para

identificar a influência dos parâmetros geotécnicos na variação do fator de segurança.
Espera-se compreender melhor o processo de recuo costeiro, por meio de termos
probabilísticos, além de agregar ao fator de segurança um significado mais completo e
confiável. Essa metodologia proporcionará um critério mais adequado para avaliação do
risco nas encostas da região.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1692497 - OSVALDO DE FREITAS NETO
Interno - 1149451 - OLAVO FRANCISCO DOS SANTOS JUNIOR
Externo à Instituição - RICARDO NASCIMENTO FLORES SEVERO - IFRN
Notícia cadastrada em: 21/02/2018 09:30
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao