Banca de QUALIFICAÇÃO: EVILANE CASSIA DE FARIAS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EVILANE CASSIA DE FARIAS
DATA : 27/03/2018
HORA: 16:50
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO:

Avaliação da corrosão frente ao ataque de íons cloreto e carbonatação em concretos autoadensáveis com elevados teores de resíduo da biomassa da cana-de-açúcar e metacaulim.


PALAVRAS-CHAVES:

Concreto autoadensável, baixo teor de cimento, cinza do bagaço da cana-de-
açúcar, íons cloreto, carbonatação, corrosão.


PÁGINAS: 30
RESUMO:

A indústria da construção civil é uma das maiores consumidoras de recursos
naturais do mundo, principalmente na produção de concreto. O concreto
autoadensável (CAA) é um tipo de compósito especial bastante fluído, capaz de
se moldar através de seu próprio peso sem apresentar exsudação e segregação.
Devido a tais características em sua composição é necessário uma maior
quantidade de finos do que o concreto normalmente vibrado. Esses finos podem
ser compensados através do aumento do teor de cimento, esta opção acaba por,
muitas vezes, inviabilizando a fabricação do CAA devido ao alto custo, aumento
do calor de hidratação e consequentemente retração, bem como o aumento da
emissão de CO2 oriunda da maior quantidade de cimento necessária. Diante
disto, estudos recentes têm utilizado pozolanas comerciais e as cinzas residuais
de processos agroindustriais como forma de compensar a necessidade de finos
do CAA, o uso das cinzas agroindustriais tem ao seu favor o fato de não
necessitar degradar recursos naturais e, além disso, possibilitar uma destinação

nobre a um resíduo que antes não possuía destino adequado. O resíduo da
biomassa da cana-de-açúcar é gerado pela indústria sucroalcooleira e possui
viabilidade de ser utilizado no concreto autoadensável. Uma outra característica
do CAA é o fato de ele apresentar, normalmente, índices de durabilidade
superiores ao concreto normalmente vibrado, porém ainda existe poucas
informações sobre os índices de durabilidade de CAA’s com altos teores de
adições de resíduos agroindustriais. Dentre os mecanismos de deterioração do
concreto existe o ataque por carbonatação e o ataque por íons cloreto, ambos
são os principais mecanismos geradores da corrosão em concretos armados. O
presente projeto pretende analisar a substituição parcial do cimento, em até 40%,
por resíduo da biomassa da cana-de-açúcar na dosagem, nas propriedades
reológicas e de durabilidade, com ênfase nos ensaios de penetração de íons
cloreto, carbonatação e corrosão do CAA. Serão executados seis traços
variando a porcentagem de substituição do resíduo, sendo um de referência
apenas com cimento. No estado fresco serão realizados ensaios que
comprovem a autoadensabilidade dos concretos produzidos e no estado
endurecido serão realizados os ensaios de resistência à compressão, velocidade
do pulso ultrassonico, e parâmetros de durabilidade como resistividade,
penetranção de íons cloretos, carbonatação e corrosão. Os testes de ataque de
CO2 se dará de forma acelerada através de uma câmara de carbonatação, os

testes de penetração de íons cloreto será baseado no procedimento LNEC E-
463 e o ensaio de corrosão se dará através da medida do potencial de corrosão

após ciclos de carbonatação acelerada combinado com ciclos de molhagem e
secagem em água salinizada. Com este estudo espera-se que o resíduo da
biomassa da cana-de-açúcar combinado com o metacaulim proporcionem um
melhor comportamento reológico ao CAA, acarretando em melhores indices de
autoadensabilidade e, além disso, melhore ou mantenha os índices de
durabilidade do concreto autoadensável apenas com cimento.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ENIO FERNANDES AMORIM - IFRN
Interno - 1717461 - LUCIANA DE FIGUEIREDO LOPES LUCENA
Presidente - 022.621.844-96 - MARCOS ALYSSANDRO SOARES DOS ANJOS - IFRN
Interno - 1507841 - MARIA DAS VITORIAS VIEIRA ALMEIDA DE SA
Notícia cadastrada em: 20/02/2018 10:25
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao