Banca de DEFESA: VICTOR PINHEIRO DA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VICTOR PINHEIRO DA COSTA
DATA : 30/11/2017
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO CT
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO DO RESÍDUO ESTÉRIL DE DEPÓSITOS PEGMATÍTICOS GRANÍTICOS GRANULOMETRICAMENTE REDUZIDO PARA APLICAÇÃO EM OBRAS DE TERRA


PALAVRAS-CHAVES:

Resíduo da mineração; pavimentação; feldspato.


PÁGINAS: 107
RESUMO:

A atividade de mineração como qualquer processo de extração de recursos
naturais provoca impactos ao meio ambiente, seja no que diz respeito a
alterações de áreas naturais por meio de sua exploração ou na geração de
resíduos decorrentes principalmente de sua lavra e beneficiamento. Partindo do
pressuposto que os recursos minerais são bens esgotáveis e que o setor da
construção civil é responsável pelo consumo de até 50% de todos os recursos
minerais explorados no planeta, é imprescindível que se desenvolvam técnicas de
reaproveitamento de resíduos da mineração na construção civil para que ocorra a
diminuição do uso de bens naturais e o acumulo de resíduos, minimizando dessa
forma os impactos causados ao meio ambiente. Neste trabalho, é apresentada
uma proposta de destinação adequada aos resíduos oriundos da lavra do
feldspato pegmatítico da região de Parelhas/RN por meio da sua inclusão em
obras geotécnicas. Para tanto, submeteu-se o resíduo estéril do feldspato
pegmatítico (REFP) a um processo de tratamento granulométrico, obtendo um
material com 100% passante da peneira n°4 (4,8 mm). Posteriormente, ele foi
submetido a ensaios de caraterização física, química, mineralógica e mecânica.

Diante dos resultados foram caracterizados como areias siltosas não plástica e
bem graduada com massa especifica dos sólidos igual 2,66 g/cm3 e
granulometria não uniforme. Os resultados de difração de raios-X apontaram
como um material com alto percentual de sílica (64,13%) e alumínio (15,08%),
apresentando baixo teor de álcalis totais (10,62%) e elevado teor de oxido de
ferro (5,25%) em relação aos requisitos químicos para seu consumo nas
indústrias de cerâmica e vidro. O mesmo foi designado como um material A-2- 4
pela TRB (Transportation Research Board), apresentado excelente capacidade de
suporte a penetração, e podendo ser utilizado quando compactado em energia
modificada, em condições ótimas (ρd.máx e wót), como elemento de base em
pavimentos com N < 5.106. Entretanto notou-se uma perda de 50% da sua
capacidade de suporte a penetração (ISC) para teores de umidade iguais a wót ±
1, revelando a necessidade de um controle rigoroso quando aplicado em
pavimentos. Quanto aos ensaios de cisalhamento direto, as amostras não
inundadas apresentaram valores de coesão e ângulo de atrito nas tensões de
pico variando entre 15 a 8 kPa e 53° a 43°, respectivamente, para as energias de
compactação normal, intermediária e modificada e sobrecargas de até 200 kPa. A
inundação não provocou mudanças mensuráveis nos valores das tensões de
pico, entretanto acarretou em menores tensões residuais. O REFP se apresentou
como um material de baixa compressibilidade não demonstrando comportamento
expansível ou colapsivel ao ser inundado para os níveis de tensões aplicados
nesta pesquisa. Os resultados expostos pelos ensaios de permeabilidade à carga
variável para as amostras moldadas em condições ótimas nas energias de
compactação normal, intermediária e modificada, demonstram que o resíduo é
mediamente permeável (1,56 − 1,28 cm/s2). O REFP apresentou 83% de
atividade pozolânica, resultado que pode se apresentar satisfatório em
argamassas, concretos, solo-cimento e solos melhorados. Tecnicamente, o
resíduo apresentou propriedades que satisfazem seu uso em obras de terra e/ou
misturas com elementos aglomerantes, entretanto é necessário maiores estudos
para avaliar o custo energético necessário para seu beneficiamento
granulométrico e as zonas de influencia de seu local de estração para validar sua
aplicabilidade nestes segmentos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALEXANDRE DA COSTA PEREIRA - IFRN
Presidente - 2085750 - FAGNER ALEXANDRE NUNES DE FRANCA
Interno - 1284389 - MARIA DEL PILAR DURANTE INGUNZA
Interno - 1692497 - OSVALDO DE FREITAS NETO
Notícia cadastrada em: 13/11/2017 12:49
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao