Banca de DEFESA: RÍSIA AMARAL ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RÍSIA AMARAL ARAÚJO
DATA : 06/11/2017
HORA: 11:00
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DO RESÍDUO DE CERÂMICA VERMELHA E SUA INFLUÊNCIA NAS PROPRIEDADES DE ARGAMASSAS MISTAS


PALAVRAS-CHAVES:

Sustentabilidade, atividade pozolânica, cimento Portland.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

O desenvolvimento da construção civil aumenta o consumo de materiais em obra, bem  como a fabricação destes materiais muitas vezes requer elevado dispêndio de energia e de recursos naturais, o que implica na geração de impactos ambientais. Tais impactos são acarretados pela produção de resíduos gasosos e sólidos, como também mudanças desastrosas do meio ambiente. Em contrapartida, o modelo de sustentabilidade atual
impõe a necessidade de amenizar os impactos ambientais associados ao setor da construção civil, seja na fase de produção de materiais e componentes de edificações, seja na construção, no uso e na demolição da mesma. Nesse contexto, a redução do uso do cimento Portland é urgente, em razão do alto consumo energético e emissão de CO 2 provocado pela calcinação da matéria prima. Assim como o cimento Portland, a
indústria da cerâmica vermelha ainda origina demasiado volume de resíduos sólidos em virtude de falhas no processo produtivo. Cerca de 30% dos produtos cerâmicos acabados são descartados indiscriminadamente. Argilas termicamente tratadas, inclusive na forma de tijolos cerâmicos finamente moídos, foram amplamente utilizadas na antiguidade devido às reconhecidas propriedades hidráulicas que conferiam as argamassas de cal aérea. Dessa forma, esse estudo pretende avaliar o potencial de atividade pozolânica do resíduo de cerâmica vermelha (RCV) e as propriedades da argamassa com adição deste, a fim de que possa ser dado um destino adequado a esses resíduos. O RCV após processado em partículas menores que 0,075 mm, será adicionado em substituição parcial ao cimento Portland no traço 1:1:6 (cimento: cal: areia) de argamassas mistas. Inicialmente o resíduo será caracterizado e sua a atividade pozolânica investigada por meio de análises granulométricas, termogravimétricas, DRX, FRX e MEV-EDS. O teor de substituição das argamassas de revestimento será variado de 0 a 30% e as respectivas propriedades de trabalhabilidade, retenção de água, resistência mecânica, aderência, retração e módulo de elasticidade serão avaliadas. Espera-se que o resíduo contenha significativa quantidade de silicatos e aluminatos reativos, proporcionando uma atividade pozolânica eficiente para compensar a perda de resistência mecânica e aderência devido à substituição do aglomerante principal. Já no estado fresco é imprescindível que as argamassas apresentem trabalhabilidade satisfatória, tornando sua aplicação viável em obra. Do ponto de vista da durabilidade, é interessante que este material compósito exiba capacidade de deformação adequada, evitando fissurar e consequentemente comprometer o desempenho do revestimento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 022.937.264-36 - ANDREZA KELLY COSTA NOBREGA - UFERSA
Externo à Instituição - ERICA NATASCHE DE MEDEIROS GURGEL PINTO - UFERSA
Externo à Instituição - KLEBER CAVALCANTI CABRAL - UFERSA
Interno - 1507841 - MARIA DAS VITORIAS VIEIRA ALMEIDA DE SA
Notícia cadastrada em: 23/10/2017 10:20
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao