Banca de QUALIFICAÇÃO: VICTOR PINHEIRO DA COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VICTOR PINHEIRO DA COSTA
DATA : 03/03/2017
HORA: 08:30
LOCAL: Setor IV, Bloco B, Sala 4
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO DO REJEITO DA LAVRA DO FELDSPATO PEGMATÍTICO PARA FINS GEOTÉCNICOS


PALAVRAS-CHAVES:

Resíduo da mineração; pavimentação; argamassa com resíduo


PÁGINAS: 60
RESUMO:

A atividade de mineração como qualquer processo de extração de recursos naturais provoca impactos ao meio ambiente, seja no que diz respeito a alterações de áreas naturais por meio de sua exploração ou na geração de resíduos decorrentes principalmente de sua lavra e beneficiamento. Partindo do pressuposto que os recursos minerais são bens esgotáveis e que o setor da construção civil é responsável pelo consumo de até 50% de todos os recursos minerais explorados no planeta, é imprescindível que se desenvolva técnicas de reaproveitamento de resíduos da mineração na construção civil para que ocorra a diminuição do uso de bens naturais e o acumulo de resíduos, minimizando dessa forma os impactos causados ao meio ambiente. Neste trabalho, é apresentada uma proposta de destinação adequada aos resíduos oriundos da lavra do feldspato pegmatítico da região de Parelhas/RN por meio da inclusão desses em obras geotécnicas. Para tanto, submeteu-se o rejeito da lavra de feldspato (RLF) a um processo de tratamento granulométrico, obtendo um material com 100% de passante da peneira n°4 (4,8 mm), o qual posteriormente foi submetido a ensaios de caraterização física, química, mineralógica e mecânica. Diante dos resultados obtidos, concluiu-se que estes eram caracterizados como areias siltosas não plástica com massa especifica dos sólidos igual 2,556 g/cm3. Os resultados de FRX apontaram como um material inerte com alto percentual de  sílica (64,13%) e alumínio (15,08%), apresentando baixo teor de álcalis totais (10,62%) e elevado teor de hematita (5,25) em relação aos requisitos químicos para seu consumo nas industrias de cerâmica e vidro. O mesmo foi designado como um material A-2-4 pela HRB, apresentado excelente capacidade de suporte a penetração, podendo ser utilizado quando compactado em energias Proctor modificada, em condições ótimas (ρdmáx. e wót.), como elemento de base em pavimentos com N < 5.106. Entretanto notou-se uma perda de 50% do ISC para teores de umidade iguais a Wótimo ± 1, revelando a necessidade de um controle rigoroso quando fosse aplicado em pavimentos. Quanto aos ensaios de cisalhamento em condições não inundadas apresentou valores de coesão de 31,68 e ângulo de atrito variando entre 38° a 47° para as energias de compactação Proctor normal, intermediária e modifica. A inundação não provocou mudanças mensuráveis nos valores das tensões de pico, entretanto acarretou em menores tensões residuais e na diminuição da capacidade de deformação do solo ao ser cisalhado. O RLF apresentou 83% de atividade pozolânica, resultado que pode se apresentar satisfatório em argamassas e concretos, sendo necessário maiores investigações nesta área.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2085750 - FAGNER ALEXANDRE NUNES DE FRANCA
Interno - 1284389 - MARIA DEL PILAR DURANTE INGUNZA
Interno - 1692497 - OSVALDO DE FREITAS NETO
Notícia cadastrada em: 02/03/2017 15:42
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao