Banca de QUALIFICAÇÃO: JOELSON OLIVEIRA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOELSON OLIVEIRA SANTOS
DATA : 28/09/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Videoconferência via Google Meet
TÍTULO:
ESTRUTURA DE PRODUÇÃO DA REGIÃO NORDESTE E ESTADOS NOS ANOS DE 2010 E 2015: uma contribuição a partir da abordagem insumo-produto

PALAVRAS-CHAVES:

Economia regional. Abordagem multissetorial. Matrizes insumo-produto. Estrutura produtiva. Região Nordeste.


PÁGINAS: 334
RESUMO:
O objetivo desta dissertação é o de analisar a estrutura produtiva da região Nordeste do Brasil, bem como dos estados pertencente à região, e avaliar a importância das atividades econômicas presentes em seu território. Apesar do crescimento vivenciado recentemente pela economia brasileira beneficiar a redução das disparidades regionais, observa-se que o Nordeste ainda é a região mais desigual do país. Desse modo, dada a heterogeneidade macrorregional e persistência de problemas estruturais, qual é a estrutura das interações entre os setores de atividade econômica presentes no Nordeste, bem como nos estados pertencentes à região, no período recente? Para responder esse questionamento, partindo-se da hipótese de que a atual estrutura de produção da região Nordeste está condicionada a seus antecedentes históricos e ao movimento cíclico da dinâmica econômica nacional, tomando por base a matriz insumo-produto para o país e uma combinação de quocientes locacionais simples e regionalização das matrizes através do método RAS, foram estimadas matrizes de insumo-produto para a região e estados contemplando 40 atividades nos anos de 2010 e 2015. A partir delas, identifica-se o perfil tecnológico do sistema econômico regional e estadual, através de indicadores estruturais de encadeamento. Da análise empreendida verifica-se que a estrutura produtiva nordestina é concentrada em poucas atividades. Os estados da Bahia, Ceará e Pernambuco apresentaram os melhores resultados em termos de encadeamentos produtivos entre as atividades, ao passo que os demais estados apresentam, em geral, setores pouco dinâmicos. Ademais, os resultados significativamente díspares entre os estados mais desenvolvidos da região e os demais implicam que a histórica heterogeneidade do tecido produtivo nordestino se reafirma, de modo que há vários Nordestes.

MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2374343 - ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
Presidente - 793.393.285-15 - FABRICIO PITOMBO LEITE - UFBA
Interna - 3060386 - JULIANA BACELAR DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 14/09/2020 14:19
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao