Banca de QUALIFICAÇÃO: DENZI LINS ROCHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DENZI LINS ROCHA
DATA: 23/12/2013
HORA: 09:30
LOCAL: SALA B7
TÍTULO:
A PROPOSTA DO ESTADO EMPREGADOR DE ÚLTIMA INSTÂNCIA E O EXPERIMENTALISMO DEMOCRÁTICO: UMA REFLEXÃO TEÓRICA SOBRE A COMPATIBILIDADE DESSES DOIS PROGRAMAS

PALAVRAS-CHAVES:
Desemprego involuntário; Estado; Instituições

PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
RESUMO:

O presente trabalho tem por objetivo fazer uma reflexão teórica sobre a compatibilidade teórica entre o programa do Estado Empregador de Última Instancia (ELR) e o programa do Experimentalismo Democrático (ED). Nas últimas décadas, o manancial teórico do pensamento político e econômico tem-se pautado pela humanização do inevitável, pela fé cega e auto comprovada na tese da convergência e pela pobreza de imaginação institucional. O trato da questão do desemprego involuntário reflete esse status quo. Nesse aspecto o ELR se apresenta como uma transgressão ao mainstream do pensamento econômico ao propor que o Estado atue como garantidor de emprego, que funcionaria como âncora estabilizadora da economia e propiciaria o seu crescimento. No limite, o ELR pode eliminar completamente o desemprego involuntário. O desemprego, visto como transitório pela ortodoxia econômica é para a heterodoxia uma doença crônica do capitalismo, cuja qual o ELR pode ser a solução. O problema é que isso demanda a construção e a imaginação de instituições que tenham como objetivo refazer e democratizar a economia de mercado, bem como aprofundar e energizar a política e a democracia. É justamente isso que se propõe o ED, ser uma teoria social e um programa, quiçá uma ideologia política. Pretende ser uma autêntica segunda via ao neoliberalismo, já que a social democracia se tornou parte do programa neoliberal ao propor apenas uma maior transferência fiscal compensatória de renda como amenização dos inevitáveis problemas sociais, sem ambições transformadoras e institucionalmente conservadora. O ED propõe que a sociedade seja profeta e construtora do seu futuro, desamarrando-se das instituições herdadas do passado. O ELR dá conteúdo macroeconômico à uma ideia do ED não desenvolvida nesse campo teórico: mobilizar trabalhadores desempregados involuntariamente em frentes de trabalho que visem melhorar a infraestrutura, bem como a qualificação destes. No Brasil,que possui gravíssimos problemas de infraestrutura, um programa como esse tem enorme potencial benéfico. Dessa forma os dois programas não só convergem como se completam.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2374343 - ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
Externo ao Programa - 7349918 - MARCONI GOMES DA SILVA
Interno - 1205069 - WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
Notícia cadastrada em: 10/12/2013 10:28
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao