Banca de QUALIFICAÇÃO: SABRYNNA DE OLIVEIRA BATISTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SABRYNNA DE OLIVEIRA BATISTA
DATA : 05/10/2021
HORA: 14:00
LOCAL: online
TÍTULO:

ANÁLISE IN SILICO DA INTERAÇÃO ENTRE A BOMBA DE EFLUXO ACRAB-TOLC E INIBIDORES


PALAVRAS-CHAVES:

Resistência Bacteriana, MBX2319, AcrAB-TolC, DFT, MFCC


PÁGINAS: 59
RESUMO:

As bombas de efluxo são um importante mecanismo de defesa que as bactérias utilizam para evadir os métodos de tratamento antibiótico, utilizados na medicina no tratamento de doenças infecciosas. Durante muitos anos grupos de pesquisa vem desenvolvendo novos medicamentos com o intuito de mudar o atual cenário de multirresistência que esses microrganismos apresentam, dificultando a melhora de pacientes. A AcrAB-TolC é um complexo protéico pertencente à família RND com importante distribuição em bactérias classificadas como agentes prioritários para desenvolvimento de métodos de combate. Estudos utilizando moléculas inibidoras de bomba de efluxo, têm sido desenvolvidos como método alternativo para o combate das bactérias multirresistentes, a base desses inibidores é a potencialização dos métodos antibióticos já existentes. Dessa forma, este estudo tem como objetivo realizar análise ab initio da interação dos inibidores MBX2319 e seus derivados com o complexo AcrAB-TolC, através de cálculos da mecânica quântica, utilizando a Teoria do Funcional da Densidade (DFT). Os cálculos das energias de interação, dos resíduos envolvidos, foram feitos utilizando a Metodologia de Fragmentação Molecular com Capas Conjugadas (MFCC). Os resultados apresentados, demonstram presença de ligação de hidrogênio que potencializam a força de interação entre ligantes analisados no complexo AcrAB-TolC. Além disso, o resíduo Phe178 apresentou resultados significativos nos 3 ligantes analisados, destacando sua importância para a energia total de interação. Como principais resíduos envolvidos na ligação da AcrAB-TolC com o antibiótico minociclina, utilizado para análise comparativa, temos o ILe277, Phe178, Gly179, Phe615, Arg620, Glu273, Asn274, Leu177 e Ser48. Já para o ligante MBX2319, os principais resíduos foram
Phe178, Phe628, Val139, Phe610, Phe136, Phe615, Tyr327, Val612 e Phe617. Por fim, o ligante MBX3132, derivado do MBX2319, teve como principais resíduos o Phe178, Phe628, Phe615, Phe136, Phe610, Val612, Tyr327, ALa286 e o ILe277. Com esses resultados, podemos entender como melhorar os métodos de tratamento utilizados para auxiliar no combate a ação desse mecanismo de resistência bacteriana, e assim dar luz a futuras pesquisas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 076.114.664-45 - JOSÉ XAVIER DE LIMA NETO
Interna - 051.067.144-60 - KATYANNA SALES BEZERRA
Presidente - 1352009 - UMBERTO LAINO FULCO
Notícia cadastrada em: 22/09/2021 20:55
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao