Banca de DEFESA: ALEVILSON DA SILVA TAVARES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALEVILSON DA SILVA TAVARES
DATA : 20/12/2021
HORA: 08:30
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

Pesca artesanal de lagosta a partir da comunidade de  Cajueiro-Touros/RN: impactos econômicos e  socioambientais


PALAVRAS-CHAVES:

Pesca Artesanal de Lagosta. Vulnerabilidade Social. Impactos socioambientais. Exportação de Lagostas. 


PÁGINAS: 104
RESUMO:

Neste ano em que a organização das nações unidas tem declarado como o Ano Internacional da Pesca e da Aquicultura Artesanais,  a pesca de lagosta no Brasil traz os reflexos dos impactos negativos que a Pandemia da Covid 19 está deixando em todo o mundo. No caso do Brasil, em 2019, período pré-pandêmico, a produção de lagosta foi de 3.026.463 kg, já em 2020, durante a pandemia, apresentou uma variação negativa de 11,4  %, produzindo 2.680.798 kg. Contudo como consequência desses avanços  alguns problemas têm sido constatados tais como redução de 80% dos estoques pesqueiros ao longo dos últimos anos, e aumento frota de embarcações envolvidas, somando 2.900 embarcações e aumento da população de pescadores envolvidos diretamente na cadeia produtiva da lagosta, número de 15.000 pescadores. Logo o esforço de captura tende a aumentar, e junto a esses esforços, os apetrechos de pesca tem sido um dos principais investimentos materiais para garantir a captura da lagosta, desencadeando impactos socioambientais sem precedentes, somados ainda a novos agravantes, tais como o Derramamento do òleo em 2019 e a Pandemia do Covid 19, desde março de 2020, têm contribuído para o aumento da vulnerabilidade social dos pescadores artesanais de lagosta. Diante desse cenário, através de revisões bibliográficas de narrativas, pesquisa snowball, questionários semi estruturados, entrevistas e observação participante,  este trabalho busca analisar os impactos econômicos  e socioambientais da pesca da lagosta a partir da comunidade Cajueiro-Touros/RN e os reflexos da covid-19 nessa atividade, demandando uma caracterização da pesca da lagosta e do perfil social e econômico dos pescadores de lagosta na comunidade do  Cajueiro em Touros/RN;  descrever a contribuição do nordeste brasileiro na exportação de lagosta tendo a comunidade de Cajueiro, Touros, RN, como parte dessa cadeia produtiva da pesca artesanal de lagosta; identificar os novos agravantes à vulnerabilidade social dos pescadores de lagosta frente ao período de defeso  (anual), derramamento do óleo e a pandemia da COVID-19. Concluímos que o nordeste brasileiro desempenha um relevante papel no processo de captura e exportação de lagostas. E que a pesca artesanal de lagosta vem convivendo com transformações estruturais de sua cadeia, somados a novos agravantes resultantes de desastres antrópicos, desencadeando um aumento na vulnerabilidade social desses pescadores, principalmente em tempos de Pandemia do Covid 19.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149351 - JORGE EDUARDO LINS OLIVEIRA
Interna - 011.847.484-70 - MARCELLA ARAÚJO DO AMARAL CARNEIRO - UFRN
Externa à Instituição - MARISTELA OLIVEIRA DE ANDRADE - UFPB
Notícia cadastrada em: 03/12/2021 19:21
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao