Banca de QUALIFICAÇÃO: PEDRO HENRIQUE PIEROTE DE SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PEDRO HENRIQUE PIEROTE DE SOUSA
DATA : 30/04/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

ATIVIDADE REPRODUTIVA E UTILIZAÇÃO DE PSEUDO-OVOS POR GAIVOTAS-DE-CABEÇA-CINZA (Chroicocephalus cirrocephalus Vieillot, 1818 – Aves, Laridae) EM SALINA ARTIFICIAL NO LITORAL DA COSTA BRANCA DO RIO GRANDE DO NORTE


PALAVRAS-CHAVES:

Gaivota-de-cabeça-cinza, Laridae, Salina artificial, Biologia reprodutiva, Pseudo-ovos.


PÁGINAS: 46
RESUMO:

Atividades antrópicas impactam os ecossistemas e elevam as taxas de perda de habitat natural, tornando-se responsáveis pela perda de biodiversidade, e esses avanços sobre os ambientes de zona costeira têm gerado a perda e degradação de habitats, provocando consequências drásticas para grupos dependende destes ambientes. Isso impactaa conservação da avifauna marinha e costeira, que assim como várias populações de aves, têm apresentado declínio por influência direta ou indireta das ações humanas. Com isso, ambientes alternativos como salinas artificiais passam a ser utilizadas por aves de ambientes úmidos para suprir suas necessidades ecológicas, sobretudo em Macau/RN, onde uma população de gaivotas-de-cabeça-cinza (Chroicocephalus cirrocephalus Vieillot, 1818) utiliza uma salina artificial paraestabelecer colônias reprodutivas. Pensando nisso, esforços para compreender a dinâmica populacional e a biologia reprodutiva da espécie na área de estudo são importantes para orientar o manejo das salinas e evitar conflitos de interesse com a população local. Além disso, estas informações ampliarão o conhecimento reprodutivo básico da espécie, subsidiando pesquisas e ações em outros locais. Pretende-se investigar a biologia reprodutiva e relatar a ocorrência da incubação de pseudo-ovos pela espécie nesta salina. Busca-se compreender se a população varia numericamente ou não ao longo do ano, e se esta tendência acompanha o padrão temporal de postura de ovos. Se investiga se variáveis ambientais como precipitação e temperatura influenciam a reprodução, e se as gaivotas usam o espaço da salina de maneira uniforme.Monitoramos as colônias reprodutivas durante um ano, e em visitas mensais, realizamos a contagem da quantidade de gaivotas, o número de ninhos, a quantidade de ovos e de ninhegos. Coletamos informações morfométricas de ninhos e ovos ao longo dos meses da janela reprodutiva. Durante o estudo registramos de 4174 ninhos, 2627 ovos e 2186 gaivotas. O período de maior abundância de gaivotas foi entre março à junho, e entre setembro à dezembro houve as menores médias populacionais. Registramos ninhos ativos ou inativos durante todo o monitoramento, porém, ninhos recém confeccionados apenas a partir de janeiro/2020, indicando uma nova temporada reprodutiva. Registramos o maior número de ninhos ativos em junho/2020 e a maior abundância de ninhegos em julho/2019 , e a postura de ovos foi maior entre março e julho.Parte dos estudos que apresentam a ocorrência de formação das colônias reprodutivas de gaivotas-de-cabeça-cinza, relatam tal estabelecimento em localidades de ambientes naturais, como ilhotas, bancos de areia e corpos hídricos de água doce. Em nosso estudo não registramos colônias reprodutivasem ambientes naturais. Entretanto, as análises indicaram que a distância à ambientes naturais de mar ou rio não foram determinantes da quantidade de ovos depositados nos diques.Observamos que das nove variáveis analisadas, cinco melhor explicaram a quantidade de ovos depositados: número de gaivotas, temperatura média mensal, pluviosidade total mensal, o dique e o mês amostrado. Aves dependentes de ambientes úmidos estão particularmente expostas à mudanças populacionais em função de urbanização e mudanças na paisagem, no entanto, alguns animais podem tirar proveito de ambientes urbanos, incluindo várias espécies de gaivotas, que podem usar áreas suburbanas e urbanas para locais de nidificação e forrageamento.Neste sentido, compreender como as gaivotas-de-cabeça-cinza utilizam o ambiente urbano para reprodução, permite direcionar decisões de manejo e conservação da espécie.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1803589 - ADRIANA ROSA CARVALHO
Externo à Instituição - MARCELO DA SILVA - IDEMA
Interno - 073.420.314-45 - RAUL FERNANDES DANTAS DE SALES - UFRN
Notícia cadastrada em: 19/04/2021 15:54
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao