Banca de QUALIFICAÇÃO: NECIENNE DE PAULA CARNEIRO PORTO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NECIENNE DE PAULA CARNEIRO PORTO
DATA: 23/04/2013
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA PRESSÃO INSPIRATÓRIA NASAL SNIFF NA POPULAÇÃO OBESA


PALAVRAS-CHAVES:

Força muscular, músculo respiratório, obesidade


PÁGINAS: 36
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

A pressão inspiratória nasal (PIN) vem sendo considerado uma manobra complementar à  pressão inspiratória máxima (PIMax) por vários estudos prévios e em várias populações, no entanto, não há na literatura estudos na população obesa. O valor PIN representa a pressão nasofaríngea sendo uma estimativa razoável da pressão esofagiana sendo uma manobra possível de medir o padrão de ativação máxima do diafragma. O presente estudo tem por objetivo Analisar a pressão inspiratória nasal em obesos em relação a variáveis respiratórias e de adiposidade corporal. A amostra foi constituída de 92 obesos que passaram por uma avaliação com identificação do paciente, presença de comorbidades associadas, medicações em uso, variáveis antropométricas contendo: peso corporal, altura, índice de massa corpórea (IMC), grau de obesidade, circunferência da cintura (CC), circunferência do quadril (CQ), circunferência do pescoço (CP), relação cintura quadril (RCQ), índice de adiposidade corporal (IAC), bem como, efetuado espirometria e manovacuometria com medição de PImax, (pressão espiratória máxima) PEmax e PIN. Para a análise dos dados foi utilizado o programa estatístico Statistic 9.0. Para verificação da normalidade dos dados foi utilizado o Teste de Kolmogorov-Smirnov estando os valores normais para todas as variáveis de interesse. Assim, para a descrição geral da amostra, usamos os valores de média, desvio padrão e o intervalo de confiança. Para testar a diferença nas variáveis entre os gêneros, utilizou-se o T de student. Além disso, para testar a associação entre as medidas antropométricas e respiratórias, utilizou-se o teste de correlação de pearson. Para avaliar as possíveis diferenças entre os valores observados e os preditos entre as três equações de referência descrita na literatura, utilizou-se um modelo de regressão linear. Para todos os testes foi atribuído o nível de significância de 5%.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 350636 - GARDENIA MARIA HOLANDA FERREIRA
Presidente - 1149619 - SELMA SOUSA BRUNO
Externo à Instituição - VANESSA REGIANE RESQUETI - UFPE
Notícia cadastrada em: 22/04/2013 14:23
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao