Banca de QUALIFICAÇÃO: RODRIGO MARCEL VALENTIM DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RODRIGO MARCEL VALENTIM DA SILVA
DATA: 18/10/2012
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA
TÍTULO:

Efeitos Imediatos da Laserterapia Sobre a Fadiga Muscular Induzida: Ensaio Clínico Controlado, Randomizado e Cego.


PALAVRAS-CHAVES:

Terapia a Laser de Baixa Intensidade; Exercício; Fadiga Muscular; Estresse Oxidativo.


PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

A laserterapia de baixa potência tem sido utilizada no tecido muscular a fim de modular a atividade metabólica aumentando os níveis energia celular e reduzindo o estresse oxidativo do exercício. O objetivo desse estudo foi investigar os efeitos imediatos da laserterapia sobre o desempenho neuromuscular em sujeitos saudáveis submetidos a um protocolo de fadiga muscular. Trata-se de um ensaio clínico, controlado, randomizado e cego, no qual participaram 80 voluntários de ambos os gêneros, saudáveis, não atletas, considerados ativos ou muito ativos de acordo com o questionário Ipaq-Curto, com faixa etária entre 18 a 28 anos. Inicialmente os voluntários foram submetidos a um aquecimento de MMSS com exercícios ativo-livres para flexão e extensão de cotovelo e ombros, em 2 x 30 repetições. Em seguida, foi feita uma avaliação inicial (AV-1), utilizando a eletromiografia do músculo bíceps braquial, associado ao dinamômetro isocinético, com 5 contrações concêntricas máximas (60°/s) para flexão e extensão do cotovelo. Os sujeitos foram separados randomicamente em 4 grupos: o G1 (n=20), controle, não recebeu nenhuma intervenção, permanecendo em repouso por 4 min antes e depois do protocolo de fadiga muscular. O G2 (n=20), placebo, foi submetido aos mesmos procedimentos de aplicação da laserterapia pré-fadiga, no entanto com o aparelho desligado. Após o protocolo de fadiga os voluntários permaneceram 4 min em repouso. O G3 (n=20), laser pré-fadiga, realizou a aplicação por 4 min com o aparelho de laser ligado. Após o protocolo de fadiga, permaneceu por 4 min de repouso. O G4 (n=20), laser pós-fadiga, permaneceu 4 minutos de repouso, seguido do protocolo de fadiga, e realizou a aplicação do laser por 4 minutos. Foi utilizado o laser (Marca DMC, λ= 808 nm, Frequência: Contínua; Potência= 100 mw; Tamanho do Spot = 0,028 cm2; Energia por ponto= 5 J; Número de pontos= 4; Total de Energia= 20J; Tempo de aplicação= 49 s).Os pontos de aplicação foram no ventre do músculo bíceps braquial, cuja marcação foi feita com uma fita métrica, delimitando a linha cubital do cotovelo até o acrômio. Essa distância foi dividida em 4 pontos à 20 %, 30 %, 40 % e 50 % da distância total. O protocolo de fadiga muscular induzida consistiu de 30 contrações concêntricas máximas (120°/s). Após as intervenções de cada grupo, todos os voluntários foram submetidos a uma avaliação final (AV2), similar a avaliação inicial. Os dados foram submetidos a uma análise estatística usando o teste de normalidade Kolmogorov-Smirnov. Após verificar a parametria dos dados foram aplicados os testes T pareado para comparação pré e pós-protocolo de fadiga. Em seguida, foi aplicado o teste de Anova one-way, com post-hoc de bonferroni, para a análise intergrupos. Foi adotado o nível de significância de 5%.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149610 - JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
Interno - 2173436 - TULIO OLIVEIRA DE SOUZA
Externo ao Programa - 2566849 - WOUBER HERICKSON DE BRITO VIEIRA
Notícia cadastrada em: 15/10/2012 09:36
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao