Banca de DEFESA: ELIZANE POQUIVIQUI DO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELIZANE POQUIVIQUI DO NASCIMENTO
DATA : 27/05/2022
HORA: 14:00
LOCAL: VIDEOCONFERÊNCIA
TÍTULO:

CAPACIDADE FÍSICA E OXIGENAÇÃO TECIDUAL EM PACIENTES PÓS
COVID-19


PALAVRAS-CHAVES:

Tolerância ao exercício; Infecção por coronavírus; Espectroscopia de
Luz Próxima ao Infravermelho


PÁGINAS: 40
RESUMO:

Introdução:Evidências científicas e clínicas apontam um comprometimento persistente da capacidade física em indivíduos pósCOVID-19.Taisefeitosresiduaispodem persistir durante meses epodem estar influenciados pela gravidade da infecção e necessidade de internação hospitalar e uso de suporte ventilatório.
Objetivo: Avaliar a capacidade física além de analisar o comportamento da oxigenação muscular tecidual durante testes de capacidade do exercício em pacientes pós COVID-19.
Metodologia:Trata-sedeumestudotransversalempacientes diagnosticados comCOVID-19 que passaram ou não por internação hospitalar, maiores de 18 anos de ambos os sexos. Comparamos o desempenho e as respostas da oxigenação do vasto lateral durante o teste senta e levanta de um minuto (1-STS) e no Teste de Caminhada de SeisMinutos(TC6)em20pessoasquepassaram por internação hospitalar(COVID-I),em 16 pessoas que não necessitaram de internação (COVID-NI) e 11 controles. Sinais de espectroscopia de infravermelho próximo NIRS- (Portamon Artinis Medical Systems, BV, Netherland)(oxiemoglobina(O2Hb),desoxiemoglobina(HHb), hemoglobinatotal(tHb) e índice de saturação tecidual(TSI) do vasto-lateral foram registrados antes, durante e dois minutos após os testes (recuperação). Os dados foram apresentados em mediana e intervalo interquartil, paraas comparações intragrupo das variáveis foram realizadas através de Fried manen quanto as comparações intergrupos por Kruskal-Wallis através do programa estatístico GraphPad Prism 8.0 (GraphPad Software Inc SanDiego Califórnia, EUA) com níveis de significânciap<0,05 e Intervalo de Confiança de 95%.
Resultados:Houve diferença estatisticamente significativa no desempenho do COVID-I se comparado ao COVID-NI e ao controle (p<0,0001) no TC6. Tal diferença não foi observada no 1-STS. Apesar de menor desempenho, os pacientes pós COVID-19 versus controle não apresentaram diferenças entre as variáveis de NIRS durante o teste e recuperação.
Conclusão: O TC6 foi capaz de comprovar diferença de desempenho entre os grupos e parece ser mais eficiente em detectar menor capacidade funcional em pacientes pós COVID-19 quando comparado ao 1-STS. Apesar das diferenças de desempenho, os pacientes pós COVID-19 parecem não apresentar na entrega oxigênio tecidual durante o teste e recuperação quando comparados ao controle.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - RENCIO BENTO FLORENCIO - UNICEUNA
Externo ao Programa - 3296783 - SAINT CLAIR GOMES BERNARDES NETO
Presidente - 5566309 - VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
Notícia cadastrada em: 20/04/2022 10:39
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao