Banca de QUALIFICAÇÃO: CHARLE VICTOR MARTINS TERTULIANO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CHARLE VICTOR MARTINS TERTULIANO
DATA : 09/12/2021
HORA: 14:00
LOCAL: videoconferência
TÍTULO:

RELAÇÃO ENTRE DÉFICIT COGNITIVO E DESEMPENHO FÍSICO EM IDOSOS: ESTUDO TRANSVERSAL


PALAVRAS-CHAVES:

Envelhecimento; Idoso; Cognição; Desempenho Físico; Funcionalidade


PÁGINAS: 109
RESUMO:

Introdução: A cognição é uma função corporal que diminui com o envelhecimento e suas alterações são caracterizadas pelo comprometimento da memória, julgamento, linguagem e atenção. Pode ocorrer devido a problemas neurodegenerativos, vasculares e distimia/disforia. As habilidades cognitivas reduzidas podem afetar o desempenho físico, a funcionalidade e as atividades sociais e ocupacionais, e pode ser um marcador de demência, sendo uma condição clínica crítica para os idosos e um crescente desafio à saúde global. Objetivo: Avaliar a relação entre déficit cognitivo e desempenho físico em idosos comunitários. Métodos: Trata-se de um estudo observacional, analítico e de caráter transversal, composto por idosos comunitários, residentes no município de Parnamirim (Rio Grande do Norte), com idade ≥ 60 anos. Foram coletados dados sociodemográficos e antropométricos, além de dados sobre comorbidades, déficit cognitivo e desempenho físico, através da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, da Prova Cognitiva de Leganés (PCL) e do Short Physical Performance Battery (SPPB). Na análise estatística, A normalidade das variáveis foi avaliada por meio do teste de Kolmogorov-Smirnov. Um teste t de Student e de Qui-quadrado foram realizados para comparar os idosos com baixo e bom desempenho físico em relação à média da PCL e das covariáveis. Foi realizada uma análise de regressão logística para identificar todos os fatores associados ao baixo desempenho físico. Resultados: Foram avaliados 760 idosos, com média de 70,18 (±7,11) anos de idade. À função cognitiva obteve-se uma pontuação média de 25,35 (±4,30). Quanto ao desempenho físico, média de 9,74 (±2,26), dos quais 85%, classificou-se como bom desempenho. Houve associação estatisticamente significativa entre déficit cognitivo e desempenho físico (p<0,001). As covariáveis que se relacionaram com o desempenho físico foram o score PCL (p = <0,001), função cognitiva (p = <0,001), idade (p = <0,001), sexo (p = <0,001), psicotrópicos (p = 0,001), diabetes mellitus (p = 0,040) e acidente vascular cerebral (p = 0,036). Os fatores preditores para o declínio do desempenho físico foram a idade (p = <0,001), sexo feminino (p = <0,001), uso de psicotrópicos (p = 0,025), diagnóstico de diabetes mellitus (p = 0,028) e a presença de déficit cognitivo (p = 0,001).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1460020 - ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
Interna - 2090691 - JULIANA MARIA GAZZOLA
Externa à Instituição - MAYLE ANDRADE MOREIRA - UFC
Notícia cadastrada em: 22/11/2021 15:12
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao