Banca de DEFESA: MARINA LYRA LIMA CABRAL FAGUNDES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARINA LYRA LIMA CABRAL FAGUNDES
DATA : 18/11/2020
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPTO DE FISIOTERAPIA
TÍTULO:

Avaliação dos efeitos de dispositivos de reexpansão pulmonar em sujeitos com sequelas de AVC


PALAVRAS-CHAVES:

Respiração; fisioterapia; acidente vascular cerebral, cinemática.



PÁGINAS: 60
RESUMO:

Introdução: A espirometria de incentivo a volume (EIv) e a pressão expiratória positiva (PEP) são dois recursos fisioterapêuticos de baixo custo, fácil transporte e utilização e que promovem a expansão pulmonar nos sujeitos com sequela de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Ambos são utilizados para promover a reexpansão pulmonar, entretanto, ainda não foram estabelecidos os efeitos de um em relação ao outro e a utilização de ambos combinados nesse publico. Objetivo: Avaliar os efeitos de 3 protocolos de reexpansão pulmonar em pacintes com AVC submetidos a três protocolos de expansão pulmonar: a) Espirometria de Incentivo a Volume (EIv), b) Pressão Expiratória Positiva (PEP) e c) ambos dispositivos (PEP+EIv). Metodologia: Trata-se de um estudo observacional analítico onde foram incluídos indivíduos acometidos por episódio de Acidente Vascular Cerebral (AVC), há pelo menos três meses, de ambos os sexos, com idade superior a 18 anos. As avaliações ocorreram em dois dias, com um intervalo mínimo de uma semana. No primeiro dia, os participantes foram avaliados quanto à força da musculatura respiratória (PImáx e PEmáx) e função pulmonar (espirometria) bem como responderam o Mini Exame de Estado Mental (MEEM) e  a  National Institutes of Health Stroke Scale (NIHSS). A avaliação da variação dos volumes da parede torácica e seus compartimentos (caixa torácica pulmonar (CTp); caixa torácica abdominal (CTa) e abdome (AB)) foi realizada pela pletismografia optoeletrônica (POE) no segundo dia. A avaliação ocorreu em 3 etapas consecutivas: 2 minutos de repouso (respiração espontânea - QB), 2 minutos da técnica de intervenção randomizada (protocolo) e 2 minutos de recuperação. O tempo de descanso entre os dispositivos foi definido através da estabilização dos sinais vitais. O cálculo amostral foi realizado em um estudo piloto de 5 indivíduos, pelo volume corrente na parede torácica, com tamanho do efeito 1.09 e power de 0,90, totalizando 15 sujeitos para o estudo. Resultados: Foram analisados 18 indivíduos (12H), idade 56,11±12,28 anos. Apesar da variação de volume na parede torácica ter sido maior durante a utilização de PEP+EIv em comparação com os dispositivos isolados, não houve diferença significativa entre as válvulas para essas variáveis. Quando dividimos a caixa torácica em lados hemiparético e normoparético, existiu uma diferença significativa (p<0,05) analisando os lados hemipatáticos no compartimento caixa torácica pulmonar (CTp) entre PEP 0,24 [0,15-0,32] e EIv 0,37 [0,25-0,43]. A porcentagem de contribuição foi maior, comparando os hemitórax, no lado normoparético sendo estatisticamente significativo em PEP (19%) quando comparado ao lado hemiparético (14%). Além disso, na comparação apenas entre os lados acometidos, houve uma diferença estatística em CTp maior em EIv (22%) quando comparado aos outros dois dispositivos (PEP – 19%) e PEP+EIv – 20%) e em abdómen (AB), sendo maior na PEP (26%) quando comparado ao EIv (20%) e na PEP+EIv (24%) quando comparado ao EIv (20%). Na análise de assincronia, o estudo mostrou que existe um aumento no ângulo de fase <0.05 com a utilização dos protocolos PEP e PEP+EIv entre os momentos QB, válvula e válvula, recuperação, sem alteração no uso do EIv isolado. Além disso, foi obtido valores significativamento maiores em PEP+EIv comparados ao EIv na caixa torácica abdominal versus abdómen (θCTAxAB) e em PEP quando comparado a EIv em caixa torácica pulmonar versus abdómen (θCTPxAB). Conclusão: O uso da espirometria de incentivo a volume isolada apresentou efeitos superiores na reexpansão pulmonar e menor assincronia quando comparada ao uso associado com pressão expiratória positiva e uso da PEP isolada em pacientes Pós-AVC.



MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2419223 - GERSON FONSECA DE SOUZA
Externa à Instituição - JESSICA DANIELLE MEDEIROS DA FONSECA - F.M.Nassau
Presidente - 5566309 - VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
Notícia cadastrada em: 13/11/2020 10:08
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao