Banca de DEFESA: KARINNA SONÁLYA AIRES DA COSTA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KARINNA SONÁLYA AIRES DA COSTA
DATA : 15/09/2020
HORA: 14:00
LOCAL: VIDEOCONFERÊNCIA
TÍTULO:

COMPARAÇÃO ENTRE TREINAMENTO SENSÓRIO MOTOR E DE FORTALECIMENTO MUSCULAR PARA INDIVÍDUOS COM SÍNDROME DA DOR SUBACROMIAL: ESTUDO RANDOMIZADO E CEGO


PALAVRAS-CHAVES:

Eletromiografia; Dor no ombro; Fisioterapia; Terapia por exercício.


PÁGINAS: 85
RESUMO:

Introdução: a síndrome da dor subacromial é conhecida como uma compressão dos tecidos subacromiais, ocorrida sobretudo, pelo estreitamento deste espaço. Sua etiologia é ampla, entretanto, os desequilíbrios nas relações musculares e no tempo de ativação desses músculos podem influenciar no prognóstico funcional desses pacientes. Objetivo: comparar um protocolo de treinamento sensório motor com um de fortalecimento muscular em pacientes com síndrome da dor subacromial. Métodos: trata-se de um ensaio randomizado e cego, composto por 22 voluntários de ambos os gêneros, com idade média 48,9 ± 7,9 anos. Todos os voluntários foram submetidos a uma avaliação prévia (Av1) onde foram mensurados: dor, função (SPADI), amplitude de movimento, força muscular, relações das atividades eletromiográficas e cinemática do complexo do ombro. Após a avaliação inicial, os voluntários foram aleatoriamente divididos em dois grupos para a realização das intervenções: grupo fortalecimento muscular (GFM – exercícios de fortalecimento muscular, n=11) e grupo sensório motor (GSM – treino de controle motor, n=11). Os protocolos de intervenção foram realizados durante 8 semanas. Após quatro semanas de intervenção, foi realizado a segunda avaliação (AV2), idêntica a AV1, acrescentando-se, porém, o questionário de percepção de mudança global nesta e nas avaliações seguintes. Ao final dos protocolos de intervenção foi realizado a terceira avaliação (AV3) e por fim, um follow-up foi realizado após 4 semanas do final dos protocolos de intervenção. Análise Estatística: foi realizada por meio do software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 20.0 para Windows, seguindo os princípios da análise por intenção por tratar. Na análise descritiva utilizamos a média como medida de tendência central e o desvio padrão como medida de dispersão. Uma ANOVA de modelo misto foi realizada para as comparações intra e intergrupos. Resultados: ambos os grupos tiveram redução na sensação dolorosa. Ainda em relação a dor, no follow up, há diferença intergrupo para o grupo sensório motor, quando comparado ao grupo fortalecimento muscular. Para as variáveis SAPDI, amplitude de movimento articular, força muscular a relação da atividade eletromiográfica entre os músculos avaliados, não houve diferença entre os grupos. Na avaliação cinemática da rotação superior da escapula, os resultados mostraram diferenças intergrupo em 30 e 60 graus, com aumento dos escores para o grupo sensório motor. Conclusão: ambos os protocolos de intervenção produziram respostas clinicamente importantes para os pacientes com SIS, contudo, observou-se que no GSM os ganhos perduram por um maior tempo, quando comparado ao GE.



MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ANAMARIA SIRIANI DE OLIVEIRA - USP
Interna - 1081828 - CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
Presidente - 1149610 - JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
Externo à Instituição - JOSÉ JAMACY DE ALMEIDA FERREIRA - UFPB
Externo ao Programa - 2218684 - MARCELO CARDOSO DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 26/08/2020 14:30
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao