Banca de DEFESA: JACILDA OLIVEIRA DOS PASSOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JACILDA OLIVEIRA DOS PASSOS
DATA : 19/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: SALA 8
TÍTULO:

ANÁLISE DA COERÊNCIA DE ATIVAÇÃO CORTICAL DE PACIENTES COM ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL SUBMETIDOS A UM JOGO DE REALIDADE VIRTUAL



PALAVRAS-CHAVES:

acidente vascular cerebral, eletroencefalografia, realidade virtual


PÁGINAS: 76
RESUMO:

As disfunções motoras decorrentes do Acidente Vascular Cerebral (AVC), sobretudo as que envolvem o membro superior (MS), comprometem a independência dos pacientes. Em virtude disso, o uso da Realidade Virtual (RV) pode ser uma intervenção importante para a recuperação desses indivíduos. Objetivo: Analisar a coerência da ativação cortical de pacientes com AVC submetidos à um jogo de realidade virtual. Método: Participaram do estudo 12 pacientes, sendo 6 com lesão cerebral esquerda (PE), com idade média de 54,1 anos (± 9,4) e 6 com lesão à direita (PD), com idade média ± 50,6 anos (± 5,8) e 12 indivíduos saudáveis que ativaram o hemisfério cerebral esquerdo (SE)  e o direito (SD). Todos os participantes realizaram 15 tentativas do jogo de dardos do Kinect Sports no Xbox 360º Kinect. Foram registrados sinais de EEG pelo Emotiv EPOC e o desempenho motor pela pontuação do jogo. O sinal bruto do EEG foi processado no Matlab, através da análise de coerência dos canais frontais (FC5, FC6) e parietais (P7, P8), nos ritmos alfa e beta e foi calculado o erro absoluto para o desempenho motor. A análise estatística foi realizada através da ANOVA, com teste post hoc de Tukey. Resultados: Analisando o ritmo alfa, não houve diferença significativa entre pacientes e saudáveis na coerência das áreas motoras primárias (FC5-FC6), motora primária e parietal esquerda (FC5-P7) e motora primária esquerda e parietal direita (FC5-P8). Quanto à coerência na área motora primária direita e parietal esquerda (FC6-P7) o grupo PD apresentou valores menores do que o grupo SD (p=0,002). Em FC6-P8, o grupo PE teve maior coerência do que o grupo SE (p=0,035) e em P7-P8 os valores de coerência do grupo PE foram maiores do que SE (p=0,0001) e do grupo PD menores que SD (p=0,0001). No ritmo beta, os canais FC5-FC6, FC5-P7, FC5-P8, FC6-P7 e FC6-P8 não apresentaram diferença significativa na coerência de ativação cortical entre pacientes e saudáveis. Por outro lado, o canal P7-P8 demonstrou diferença entre os grupos, em que PD apresenta menor coerência que o SD (p=0,0001). Quanto ao desempenho motor, os pacientes não diferiram entre si, nem dos saudáveis do grupo SE. Conclusão: De acordo com os resultados, a lateralidade do hemisfério cerebral ativado interferiu no padrão de acoplamento neural dos pacientes. O aumento da coerência entre as áreas parietais foi um padrão de comportamento promovido pela realidade virtual, em todos os indivíduos submetidos ao jogo, porém o padrão de acoplamento neural distinto de cada grupo refletiu o potencial de reorganização das áreas corticais durante a exposição à jogos de realidade virtual.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 350635 - TANIA FERNANDES CAMPOS
Interna - 2179208 - ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
Externo ao Programa - 2244846 - JULIO CESAR PAULINO DE MELO
Externa à Instituição - ANA AMÁLIA TORRES SOUZA GANDOUR DANTAS - F.M.Nassau
Externo à Instituição - SUELLEN MARY MARINHO DOS SANTOS ANDRADE - UFPB
Notícia cadastrada em: 17/02/2020 17:32
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao