Banca de DEFESA: NELSON MARINHO DE LIMA FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NELSON MARINHO DE LIMA FILHO
DATA : 13/09/2019
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPTO DE FISIOTERAPIA
TÍTULO:

NIVEIS DE BIOMARCADORES ASSOCIADOS À CONCUSSÃO APÓS REPETIDOS GOLPES SUBCONCUSSIVOS EM LUTADORES DE MMA: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO


PALAVRAS-CHAVES:

Concussão, esporte, traumatismos em atletas, biomarcadores


PÁGINAS: 45
RESUMO:

A concussão e os danos resultantes desse evento relacionados à função cerebral têm sido amplamente estudados, no entanto, pouco se sabe sobre os impactos subconcussivos. A subconcussão é definida como “um impacto craniano que não resulta em uma concussão sabida ou diagnosticada no campo clínico”. Uma subconcussão é menos grave que uma concussão e geralmente não resulta em um diagnóstico clínico, nem é comumente identificada por exames de imagem. Desse modo, os biomarcadores sanguíneos, que são convenientes e de relativo baixo custo, podem ser usados para mensurar analitos ligados a processos fisiopatológicos, como inflamação e neurodegeneração. Este estudo tem como objetivo principal avaliar os níveis dos biomarcadores associados à concussão e sintomas decorrentes de golpes subconcussivos em lutadores de MMA. Trata-se se um estudo exploratório em que 30 indivíduos do sexo masculino (10 lutadores de MMA, 10 saudáveis praticantes de musculação e 10 saudáveis sedentários) com idades entre 18 e 32 anos (25,4 ± 3,8) foram submetidos à coleta sanguínea para avaliação dos níveis das proteínas UCHL-1, GFAP, MCP-4 e BDNF e avaliados quanto aos sinais e sintomas relacionados à concussão, por meio do SCAT 5, antes da luta, imediatamente após e 72 horas após a luta. Além disso, foi realizado o registro por vídeo do número de traumas na cabeça durante a luta. Na avaliação inicial, foram encontradas diferenças significativas entre os lutadores e os saudáveis ativos nos níveis de BDNF (p=0,03). Nos níveis de MCP-4 foram encontradas diferenças entre os lutadores e os saudáveis sedentários (p=0,0002) e saudáveis ativos e saudáveis sedentários (p=0,002). Nos lutadores, foi observado um aumento significativo nos níveis de MCP-4 imediatamente após a luta (p=0,002) e uma redução significativa entre o pós-imediato (p=0,002) e 72 horas após a luta (p=0,002). Em relação aos níveis de BDNF, foi observado também uma redução significativa entre o pós-imediato e 72h após a luta (p=0,03). Os demais marcadores não apresentaram diferenças significativas e o número de golpes na cabeça não apresentou correlação com os níveis das proteínas ou a quantidade e severidade dos sintomas. Esses achados podem auxiliar quanto à compreensão da influência dos repetidos golpes subconcussivos em atletas lutadores de MMA e levantar novas possibilidades e questionamentos para pesquisas futuras.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 4374835 - KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
Externo ao Programa - 1369275 - CLECIO DE OLIVEIRA GODEIRO JUNIOR
Externa à Instituição - DANIELLA ARAÚJO DE OLIVEIRA - UFPE
Notícia cadastrada em: 06/09/2019 10:38
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao