Banca de QUALIFICAÇÃO: AMANDA SOARES FELISMINO SILVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AMANDA SOARES FELISMINO SILVEIRA
DATA : 15/09/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do departamento de fisioterapia
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DAS VARIÁVEIS DO EXERCÍCIO INDEPENDENTES DO ESFORÇO MÁXIMO NA DETECÇÃO DOS EFEITOS DO TREINAMENTO FÍSICO EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CRÔNICA


PALAVRAS-CHAVES:

Insuficiência cardíaca, reabilitação cardíaca, exercício aeróbico


PÁGINAS: 54
RESUMO:

 

Introdução: Os efeitos do treinamento físico em pacientes com insuficiência cardíaca (IC) crônica, geralmente, são avaliados por mudanças na captação de oxigênio no pico do esforço (VO2pico). No entanto, apesar de ser extensamente utilizado na literatura, apresenta algumas limitações, como a necessidade de exercício máximo, o que não é possível em pacientes severamente limitados. Outras variáveis que não apresentam essas limitações por serem empregadas independentes do esforço máximo, tem sido estudadas para identificar o prognóstico desses pacientes, como o Liminar Anaeróbico - LA, VE/VCO2Slope, eficácia de consumo de oxigênio – OUES e OV – Oscilação ventilatória e mais recentemente para avaliar os efeitos do exercício físico. Objetivo: Avaliar as variáveis independentes do esforço máximo (LA, VE/VCO2slope, OUES e a OV), além da estratificação de risco e avaliação do equivalente metabólico da tarefa na detecção dos ganhos do treinamento físico na capacidade cardiorrespiratória em pacientes com IC crônica. Materiais e métodos: Trata-se de um ensaio clínico não controlado composto por pacientes com IC crônica. Os indivíduos foram submetidos a uma avaliação inicial através do Testes de esforço cardiopulmonar (TECP), onde foram avaliados as variáveis VO2pico, e as variáveis independentes do esforço máximo. Em seguida foram submetidos a um protocolo de treinamento, constando de exercícios aeróbicos e resistidos, realizados 3 vezes/semana, com duração de 60 minutos a cada sessão, por 12 semanas, sendo reavaliados ao final do período de treinamento. Resultados preliminares: O presente estudo identificou aumento de 15,2% no VO2pico após o treinamento, bem como aumento de 12,9% no VO2LA, 19,2% no OUES, redução da média do VE/VCO2slope e redução na presença de OV. Além disso, analisando a sensibilidade e especificidade das variáveis comparadas ao VO2pico através das curvas Roc percebeu-se áreas sob a curva maiores que 0,70 para o VO2LA, OUES 75% e 90%, comprovando que também são eficientes em identificar os efeitos do treinamento físico assim como o VO2pico. Foi percebido ainda um melhor prognóstico  dos  pacientes com uma mudança na estratificação de risco e maiores valores no equivalente metabólico da tarefa, podendo também esses serem indicadores importantes na avaliação da RC.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 2646588 - JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
Presidente - 1149619 - SELMA SOUSA BRUNO
Interna - 5566309 - VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
Notícia cadastrada em: 03/09/2019 15:16
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao