Banca de DEFESA: KAROLINNE SOUZA MONTEIRO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KAROLINNE SOUZA MONTEIRO
DATA : 09/07/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do departamento de fisioterapia
TÍTULO:

EFEITOS DO TREINAMENTO INTERVALADO DE ALTA INTENSIDADE NA RESISTÊNCIA À INSULINA DE INDIVÍDUOS COM FIBROSE CÍSTICA: ensaio clínico controlado e randomizado 


PALAVRAS-CHAVES:

Fibrose Cística, Intolerância à Glicose, Treinamento Intervalado de Alta Intensidade, Estudos de Validação; Conhecimento.

a.


PÁGINAS: 248
RESUMO:

Estudo 1: Efeitos do treinamento intervalado de alta intensidade na tolerância à glicose de crianças e adolescentes com fibrose cística: ensaio clínico controlado e randomizado

Objetivo: Verificar os efeitos do treinamento intervalado de alta intensidade na tolerância à glicose de crianças e adolescentes com fibrose cística.  Metodologia: Ensaio clínico controlado, randomizado e cego, realizado de junho/2018 a junho/2019, na Unidade da Criança e do Adolescente do Hospital Universitário Onofre Lopes, Natal-RN. Foram incluídos 10 indivíduos de 6 a 18 anos, de ambos os sexos, com diagnóstico de FC, alocados e randomizados em blocos: grupo controle (GC) e grupo experimental (GE). Ambos receberam intervenção educacional e o GE realizou treinamento intervalado de alta intensidade por 3x/semana, durante 8 semanas, em domicílio.  O desfecho primário foi a tolerância à glicose. Resultados: Não houve diferença intragrupo controle e intergrupo de todos os desfechos. Houve diferença entre as avaliações pré e follow-up apenas da área sob a curva da glicose (p=0,04) intragrupo experimental. Conclusão: O treinamento intervalado de alta intensidade não foi capaz de aumentar a tolerância à glicose em crianças e adolescentes de 6 a 18 anos com FC.

Estudo 2: Tradução, adaptação transcultural e avaliação psicométrica da versão brasileira da Cystic Fibrosis Knowledge Scale (CFKS)

Objetivo: Traduzir, adaptar transculturalmente e analisar as propriedades psicométricas da Cystic Fibrosis Knowledge Scale (CFKS). Metodologia: Estudo metodológico exploratório e psicométrico, que envolveu tradução, adaptação transcultural e avaliação das seguintes propriedades psicométricas: confiabilidade, viabilidade, validades de constructo, preditiva, concorrente e discriminante. Resultados: A versão brasileira da CFKS apresentou elevada consistência interna (α=0,91), efeitos chão e teto moderados, sem diferenças no escores teste-reteste. Os resultados do teste de Kaiser-Meyer-Olkin (KMO=0,93) e o teste de esfericidade de Barlett (χ²=3737,54; p=0,00) indicaram adequado ajuste dos dados, permitindo a realização da análise fatorial exploratória. A exploração fatorial identificou três dimensões: “aspectos medicamentosos, fisioterapêuticos e interação social”, “aspectos gastrointestinais, genéticos e reprodutivos”, “aspectos nutricionais”. Houve boa validade preditiva, com diferença nos escores da versão brasileira da CFKS entre todos os grupos avaliados (p<0,001), boa validade discriminante, visto que indivíduos com asma possuem maior conhecimento da asma em comparação à FC (r= 0,401; p=0,005), porém, não houve diferença entre o tempo de diagnóstico e o conhecimento em FC (r= -0,25; p=0,11) nem entre a adesão ao tratamento e o conhecimento em FC (r= -0,04; p=0,77). Conclusão: A tradução, adaptação transcultural e avaliação das propriedades psicométricas da versão brasileira da CFKS indicaram que a escala é capaz de fornecer medidas válidas, confiáveis e reprodutíveis na avaliação do conhecimento da FC.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA - UFPI
Externo à Instituição - DANIELLE FRANKLIN DE CARVALHO - UEPB
Presidente - 2291421 - KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
Externa ao Programa - 1803907 - SILVANA ALVES PEREIRA
Interno - 2566849 - WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
Notícia cadastrada em: 28/06/2019 09:09
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao