Banca de DEFESA: JANICE SOUZA MARQUES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JANICE SOUZA MARQUES
DATA : 16/04/2019
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório do departamento de fisioterapia
TÍTULO:

Participação em atividades de lazer na percepção de crianças com deficiência e dos seus cuidadores: estudo utilizando grupos focais para identificação de barreiras e facilitadores


PALAVRAS-CHAVES:

Criança, Pessoas com deficiência, Atividades de lazer, Barreiras e facilitadores, Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde.


PÁGINAS: 113
RESUMO:

Introdução: As atividades de lazer fazem parte da rotina da criança e são de extrema importância para seu desenvolvimento. Crianças com deficiência, entretanto tem menos oportunidades de vivenciar a participação nestas atividades. A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) aponta que diversos fatores podem influenciar na participação e, por isso, é necessário identificar as barreiras que a restringem, para que se possa realizar melhores práticas. Objetivo: Identificar barreiras e facilitadores para a participação de crianças com deficiência em atividades de lazer, através da percepção das próprias crianças com deficiência e dos seus cuidadores. Materiais e Métodos: Estudo qualitativo, com realização de 7 Grupos Focais, totalizando uma amostra de 80 participantes (40 crianças e 40 cuidadores). Os grupos das crianças com deficiência e seus responsáveis ocorreram de forma independente. As falas foram gravadas e transcritas para posterior análise, tomando-se por base a CIF. Seguindo as “Linking Rules”, 3 juízes realizaram, individualmente, exaustiva leitura das transcrições e determinaram as categorias da CIF identificadas nas falas. As categorias foram agrupadas pela autora principal para realização de análise descritiva e as divergências foram resolvidas com reunião e discussão entre os juízes. Resultados: Há consenso entre os grupos que os Fatores Ambientais atuam como principais barreiras, principalmente, no que diz respeito às atitudes de colegas (percepção das crianças) ou de estranhos (percepção dos cuidadores) e aos produtos e tecnologia para transporte (percepção das crianças) ou utilizados nos Projetos de arquitetura e construção de espaços públicos (percepção dos responsáveis). Para as crianças, o apoio e as atitudes da família nuclear, seguido das atitudes dos amigos foram fatores os mais referidos como facilitadores à sua participação em atividades de lazer. Já para os pais, além das atitudes e do apoio da família nuclear, as atitudes sociais também facilitam a participação de seus filhos. Conclusões: Tendo em vista que os fatores ambientais são considerados como principais barreiras e facilitadores à participação, o fisioterapeuta deve incluir em sua rotina de intervenção a identificação destes elementos e realizar o planejamento focado na participação de seus pacientes, buscando estratégias além das ações ambulatórias focadas no tratamento da deficiência para, assim, promover uma melhor participação e funcionalidade das crianças com deficiência.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2179208 - ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
Externa ao Programa - 2218795 - EGMAR LONGO HULL
Externo ao Programa - 2218787 - KLAYTON GALANTE SOUSA
Externa à Instituição - ANA CAROLINA DE CAMPOS - UFSCAR
Externo à Instituição - OLAF KRAUS DE CAMARGO
Notícia cadastrada em: 10/04/2019 09:58
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao