Banca de DEFESA: HELOISA MARIA JACOME DE SOUSA BRITTO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HELOISA MARIA JACOME DE SOUSA BRITTO
DATA : 14/12/2018
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE AULA 8
TÍTULO:

ASPECTOS CONTEXTUAIS ASSOCIADOS À MOBILIDADE E ESPAÇO DE VIDA EM IDOSOS COMUNITÁRIOS: REVISÃO SISTEMÁTICA E RESULTADOS DO ESTUDO IMIAS (The International Mobility in Aging Study)



PALAVRAS-CHAVES:

Idoso; Mobilidade; Envelhecimento Humano


PÁGINAS: 167
RESUMO:

Introdução: Mobilidade em idosos é a capacidade de mover-se desde ambientes domiciliares até além da comunidade onde vivem. A preservação da mobilidade é considerada fundamental para o envelhecimento ativo, sendo intimamente ligada ao estado de saúde e à qualidade de vida. A restrição de Mobilidade no Espaço de Vida (MEV) de idosos comunitários pode predizer a necessidade de cuidados de saúde futuros. Fatores contextuais tais como, a história de vida, questões sociais, ambientais e pessoais, são considerados determinantes para a manutenção do espaço de vida em idosos. Resultados:

Objetivos: Conhecer por meio de uma revisão sistemática os aspectos contextuais que interferem ou modificam a MEV, e identificar as associações entre Life-Space Assessment (LSA) e as adversidades do curso da vida de idosos em cinco populações com diferentes contextos epidemiológicos.

Métodos: Uma revisão sistemática foi realizada de acordo com o protocolo PROSPERO, publicado anteriormente. Um estudo transversal aninhado a uma coorte foi realizado com uma amostra de 2000 idosos residentes em 5 locais distintos (Kingston e Saint Hyacinthe no Canadá, Tirana na Albânia, Manizales na Colômbia e Natal-RN no Brasil). Medidas sobre o espaço de vida (LSA) foram analisadas por meio de análise multivariada (regressão linear múltipla), sendo ajustadas por variáveis de saúde física, mental, suporte social e adversidades no curso da vida. Resultados: Observamos associações entre a pontuação total da LSA com a idade adulta e as adversidades da velhice. Não ter apoio social e ter vivenciado adversidades do curso da vida, afetam a mobilidade em idosos As adversidades na idade adulta foram negativamente relacionadas ao LSM e as adversidades da velhice foram positivamente relacionadas ao LSM. O apoio social, características do bairro (barreira comunitária, percepção de segurança e capital social), autoavaliação de saúde, deficiência visual, sintomas depressivos, desempenho físico e força de preensão manual são associações com o escore total da ASE.

Conclusão: Piores índices de mobilidade no espaço de vida estão relacionados com piores fatores contextuais ambientais e pessoais. Mobilidade no espaço de vida é influenciado por adversidades na vida adulta e velhice, mas não por adversidades na infância. As adversidades no curso da vida adulta são preditoras de restrição de mobilidade, e adversidades na velhice, suporte social e ambiente favorável são preditores de melhor mobilidade no espaço de vida.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 350637 - RICARDO OLIVEIRA GUERRA
Interno - 2090691 - JULIANA MARIA GAZZOLA
Interno - 350635 - TANIA FERNANDES CAMPOS
Externo à Instituição - ARMELE DE FATIMA DORNELAS DE ANDRADE - UFPE
Externo à Instituição - ETIENE OLIVEIRA DA SILVA FITTIPALDI - UFPE
Notícia cadastrada em: 06/12/2018 09:39
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao