Banca de DEFESA: ELIS EMMANUELLE CABRAL DA NÓBREGA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELIS EMMANUELLE CABRAL DA NÓBREGA
DATA : 07/12/2018
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPTO DE FISIOTERAPIA
TÍTULO:
Avaliação respiratória: evidencia em eletromiografia e perspectivas sobre
novos dispositivos de treinamento muscular inspiratório e seus efeitos sobre
os volumes da parede torácica

PALAVRAS-CHAVES:

eletromiografia; pletismografia optoeletrônica; treino de músculos respiratórios; voluntários saudáveis; padrão respiratório.


PÁGINAS: 26
RESUMO:
Há varias décadas a avaliação da atividade elétrica dos músculos respiratórios vem sendo
utilizada em estudos clínicos e de Fisiologia. Por outro lado recentemente novas
dispositivos para Treinamento de Músculos inspiratórios foram introduzidos
comercialmente como as válvulas eletrônicas cinéticas. Esta tese incluiu em seu
desenvolvimento um estudo de Avaliação de Tecnologias da Saúde, revisão sistemática, e
um estudo clínico. O objetivo desta tese foi sintetizar e sistematizar a através de revisão
sistemáticas metodologias utilizadas na avaliação da eletromiografia de superfície de
músculos inspiratórios extradiafragmaticos durante a utilização aplicação de sobrecargas
respiratórias e avaliar o padrão de modificações nos volumes da parede torácica durante
o uso de duas formas de carga muscular inspiratória: limiar de carga pressórica (válvula
mecânica-VM)
versus
carga resistiva ao fluxo cônico (válvula eletrônica-VE). Em ambas
as válvulas foram avaliadas os efeitos agudos de com cargas de intensidade leve,
moderada e alta sobre os volumes da parede torácica de indivíduos saudáveis. Foi
realizado uma revisão sistemática sobre a utilização de EMG para avaliação dos
músculos inspiratórios extradiafragmaticos durante a aplicação de cargas musculares
respiratórias que foi publicado no Journal of Electromyography and Kinesiology. O estudo
clínico foi realizado 2 dias onde o uso das válvulas foi aleatorizado assim como a
intensidade das cargas. Foram testadas resistencia de que ofereceram cargas 30%; 50%
e 70% da Pressão Inspiratória Maxima - PImáx. Em ambas as válvulas os sujeitos
inspiravam contra as resistências durante 3 minutos em cada uma das etapas: respiração
tranquila, respiração contra a carga e recuperação. Entre cada intensidade de carga
houve um período de descanso de 15 minutos. Durante o protocolo foi realizado a
avaliação dos volumes da parede torácica através da Pletismografia Opetoeletrônica
concomitante a avaliação de fluxo e pressão ao nível da boca. Quinze voluntários foram
incluídos no estudo. Foi observado um aumento dos volumes da caixa toráxica pulmonar
na comparação entre as cargas com respiração tranquila e recuperação, porém esse
aumento foi maior quando utilizado a VE. O ciclo respiratório também foi influenciado
durante a utilização das duas válvulas e em todas cargas com maiores incrementos
observados durante o uso da VE. Em ambas as válvulas o compartimento que mais
aumentou o volume foi o caixa torácica pulmonar, porém esse aumento não foi
estatisticamente significativo. A aplicação da carga muscular inspiratória influência tanto
nas variável volumétricas como as variáveis de de tempos da respiração. A válvula
eletrônica tende a otimizar melhor os efeitos sobre os volumes da parede torácica e tornar
a respiração mais eficiente.

MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANTONIO JOSÉ SARMENTO DA NÓBREGA - NENHUMA
Presidente - 1545315 - GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
Externo ao Programa - 2211023 - ILLIA NADINNE DANTAS FLORENTINO LIMA
Externo à Instituição - RÊNCIO BENTO FLORÊNCIO - FANEC
Interno - 5566309 - VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
Notícia cadastrada em: 20/11/2018 08:49
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao