Banca de QUALIFICAÇÃO: JEAN ARTUR MENDONÇA BARBOZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JEAN ARTUR MENDONÇA BARBOZA
DATA : 30/07/2018
HORA: 14:00
LOCAL: PARECER
TÍTULO:

Análise termográfica após protocolos de dano muscular induzido de alta e baixa intensidade em bíceps braquial de indivíduos fisicamente ativos.


PALAVRAS-CHAVES:

Termografia, Exercício excêntrico, Dinamômetro de força muscular, Creatina quinase, Dor muscular


PÁGINAS: 46
RESUMO:

Introdução: O dano muscular induzido por exercício (DMIE) ocorre normalmente com a prática não habitual do exercício físico, sendo sua magnitude diretamente relacionada ao tipo, intensidade, modo ou duração do exercício. A avaliação do DMIE por métodos indiretos tem sido cada vez mais utilizada e mais recentemente, a termografia tem sido usada como mais um instrumento para mensurar o dano muscular, no entanto não se sabe o comportamento fisiológico da temperatura superficial diante do DMIE. Objetivo: Avaliar o comportamento fisiológico da temperatura superficial do corpo após protocolos de dano muscular induzido de alta e baixa intensidade no bíceps braquial. Métodos: Trata-se de um estudo de caráter observacional prospectivo, composto por homens saudáveis que não realizam algum treinamento de força e/ou endurance, os quais serão distribuídos aleatoriamente em grupo baixa intensidade (gBI) e grupo alta intensidade (gAI). Os sujeitos serão avaliados quanto a temperatura superficial do corpo (termografia), indicadores bioquímicos (concentração sanguínea de CK, LDH e Mb), clínicos (percepção subjetiva da dor, amplitude de movimento, percepção subjetiva de esforço) e neuromusculares por meio de variáveis isocinética e isométrica (pico de torque, trabalho total e potência). As avaliações ocorrerão 48 horas pré-protocolo, imediatamente antes e após, além de 24, 48 e 72 horas após o protocolo de DMIE. A avaliação da temperatura também será realizada 30 minutos após o protocolo de DMIE, e a taxa de percepção de esforço será avaliada somente durante o protocolo. O grupo  gBI realizará exercício excêntrico de flexores de cotovelo com 30 repetições e carga selecionada de 20% da sua contração isométrica voluntária máxima (CIVM) e o gAI realizará o mesmo exercício, porém com a carga de 100% da sua CIVM. Resultados esperados: Espera-se, com esse estudo, analisar o comportamento fisiológico da temperatura superficial da pele após protocolos de dano muscular de diferentes magnitudes e assim identificar o real papel da termografia como instrumento para avaliação do dano muscular. Além disso, identificar as relações desse método com os demais utilizados para determinar a extensão do dano muscular.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2682821 - EDUARDO CALDAS COSTA
Externo à Instituição - JOSÉ JAMACY DE ALMEIDA FERREIRA - UFPB
Presidente - 2566849 - WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
Notícia cadastrada em: 08/06/2018 10:37
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao