Banca de DEFESA: GENTIL GOMES DA FONSECA FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GENTIL GOMES DA FONSECA FILHO
DATA : 27/02/2018
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório do Departamento de Fisioterapia
TÍTULO:

Avaliação do desenvolvimento motor e movimentos generalizados em prematuros de baixo peso submetidos ao Método Canguru


PALAVRAS-CHAVES:

Desenvolvimento Infantil, Recém-nascido prematuro, Método Canguru.


PÁGINAS: 87
RESUMO:

Introdução:  O Método Canguru, implementado por muitos países em desenvolvimento, é uma estratégia de melhora na assistência neonatal. Este método busca a organização dos sistemas fisiológicos imaturos do prematuro de baixo peso, através da inserção dos pais no cuidado ao bebê e da posição canguru. Apesar dos benefícios já elencados desde do seu desenvolvimento, pouco se sabe sobre os padrões motores e os movimentos generalizados dos prematuros submetidos a este método. Objetivo: Avaliar o padrão motor e os movimentos generalizados dos prematuros de baixo peso submetidos ao Método Canguru. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, realizado na Maternidade Escola Januário Cicco. Participaram do estudo recém-nascidos, com idade gestacional menor de 37 semanas, peso abaixo de 2500g, submetidos ao Método Canguru (MC) na primeira semana de vida. Foram coletadas informações clínicas sobre o bebê e a gestação da mãe, durante a internação; o tempo de posição canguru, durante a segunda etapa do MC. Na primeira consulta da terceira etapa do MC foram aplicados a avaliação dos movimentos generalizados e o Test Infant Motor Performance (TIMP). Para análise estatística, atribuiu-se o nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95% para todas as análises.  A análise descritiva foi apresentada em média e desvio padrão (DP). A normalidade das variáveis do estudo foi verificada através do teste Shapiro Wilk. Para comparar as médias entre os grupos foi usado o Mann-Whitney e para as variáveis categóricas foi utilizado o teste Qui-quadrado. Resultados: A amostra foi composta por de 30 bebês, para avaliação dos movimentos generalizados e 27 para avaliação do desenvolvimento motor. Da população estudada 50% (15) apresentou movimentação espontânea alterada e 22,22% (6) apresentou padrão motor atípico. Ao comparar as médias entre os grupos dos bebês com movimentos generalizados normais e alterados não houve diferença significativa entre as amostras quanto as variáveis clínicas e o tempo de posição canguru.  Enquanto, que os bebês com padrão motor típico e atípico, houve diferença significativa entre o número de gestações anteriores (p=0,04), o nível de bilirrubina total máxima (p=0,03) e a presença de hemorragia intraventricular grau I (p=0,05). Conclusão: Apesar das estratégias oferecidas pelo Método Canguru, a taxa de bebês com movimentos generalizados e padrão motor atípicos ainda é alta, demonstrando a importância deste tipo de avaliação no seguimento do prematuro de baixo peso. Somado a isso, foi observado que o número de gestações e o nível de bilirrubina influencia negativamente o padrão motor dos bebês e que a presença de hemorragia intraventricular grau I pode não influenciar no padrão motor atípico. Portanto, faz-se necessário estudos que acompanhem os movimentos generalizados e o padrão motor dos prematuros submetidos ao Método Canguru para avaliar as causas dessas alterações e o efeito desse método nesses desfechos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2179208 - ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
Externo à Instituição - CIBELLE KAYENNE MARTINS ROBERTO FORMIGA - UEG
Externo ao Programa - 1160736 - CLAUDIA RODRIGUES SOUZA MAIA
Notícia cadastrada em: 16/02/2018 16:07
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao