Banca de DEFESA: LORENA PASSOS VIGOLVINO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LORENA PASSOS VIGOLVINO
DATA : 18/12/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Fisioterapia
TÍTULO:

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO GIRD NA BIOMECÂNICA E NO DESEMPENHO NEUROMUSCULAR DO COMPLEXO DO OMBRO EM ATLETAS DE ARREMESSO


PALAVRAS-CHAVES:

amplitude de movimento articular; propriocepção; força muscular; medicina esportiva.


PÁGINAS: 45
RESUMO:

O movimento de arremesso impõe um estresse excessivo na articulação glenoumeral (GU), uma vez que durante esses movimentos é gerada uma velocidade angular muito alta, fazendo essa articulação sofrer com grandes forças de tração. A realização repetida de tais movimentos gera algumas adaptações ósseas, de cápsula articular e musculares que culminam com o desenvolvimento da rigidez posterior do ombro e do Déficit de Rotação Interna da Glenoumeral, conhecido como GIRD. Como consequência desses déficits, tem-se a associação de um quadro de diminuição de amplitude movimento (ADM), desequilíbrio de força muscular entre rotadores mediais e laterais e de propriocepção do ombro, o que aumenta o risco de lesões osteomioarticulares. O objetivo deste estudo foi analisar a influência do GIRD na biomecânica e no desempenho neuromuscular do complexo do ombro de atletas de arremessadores. Tratou-se de um estudo observacional, de corte transversal, participaram deste estudo 61 indivíduos atletas praticantes de handebol de quadra e/ou praia (34 homens e 27 mulheres; 27,03±5,99 anos; IMC 25,58±3,84) e 23 indivíduos não atletas (11 homens e 12 mulheres; 26,26±4,32 anos; IMC 23,61±2,78). Foram avaliados: ADM para rotações medial (RM) e lateral (RL) e adução horizontal do ombro (AH); senso de posição articular do ombro durante a RM e RL, utilizando um inclinômetro digital Accumar® e força isométrica de RM e RL, utilizando um dinamômetro manual Lafayette® para os dois grupos (atletas e não atletas). Partindo da avaliação da ADM de RM, os indivíduos atletas com diferença entre ombros menor que 10º foram alocados no grupo sem GIRD (44 indivíduos) e os com diferença maior que 10º no grupo com GIRD (17 indivíduos). A análise estatística utilizada foi ANOVA one-way para todas as variáveis demográficas, comparação das diferenças entre grupos (GCG E GSG) e diferença entre o ombro dominante e ombro não dominante para as ADM’s (RM, RL e AH). E ANOVA two-way para comparação entre grupos (GCG e GSG) e membros (OD e OND), para as variáveis ADM de RM, RL, total e AH, SPA, força de RL e RM e razão de força RL/RM. E quando necessário os testes post hoc de Tukey foi empregado. Considerou-se p<0,05. Como resultado foi verificada interação entre grupos e membros para a variável ADM de RM (p<0,01), diferença entre grupos na ADM de RL (p = 0,03) e diferença entre membros para ADM de AH (p = 0,005). Para a variável SPA não houve diferença entre membros nem entre grupos. Na avaliação de força nos três grupos (GCG, GSG e não atletas) houve diferença entre os grupos na força de RM e RL e na Razão de força RL/RM (p≤0,01). Os atletas de arremesso por submeterem a articulação glenoumeral a grandes cargas movimentos repetitivos, ocorrem alterações na ADM e força, as quais podem gerar um maior risco de lesões.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2275864 - CAIO ALANO DE ALMEIDA LINS
Presidente - 1081828 - CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
Externo à Instituição - MICHELE FORGIARINI SACCOL - UFSM
Notícia cadastrada em: 30/11/2017 12:49
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao