Banca de DEFESA: GLAUKO ANDRE DE FIGUEIREDO DANTAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GLAUKO ANDRE DE FIGUEIREDO DANTAS
DATA : 05/04/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Depto de Fisioterapia
TÍTULO:

Crioimersão na recuperação do dano muscular de corredores de rua de 10 km: ensaio clínico randomizado e cego



PALAVRAS-CHAVES:

atividade física; dor muscular; marcadores biológicos; crioterapia


PÁGINAS: 66
RESUMO:

Introdução: A corrida de rua, modalidade do atletismo que vem crescendo de maneira exponencial, principalmente por ser acessível a toda população, exige amplo envolvimento físico e psicológico do praticante durante treinamentos e competições. Uma adequada recuperação da condição física do praticante torna-se um aspecto importante, principalmente pelos danos causados a estrutura muscular. A crioterapia por imersão tem sido utilizada com esse propósito. Objetivo: Analisar o efeito da crioimersão (CI) na recuperação de marcadores clínicos, bioquímicos, funcionais e neuromusculares do dano muscular em praticantes de corrida de rua de 10 km. Materiais e método: Ensaio clínico randomizado e cego, no qual 30 sujeitos, praticantes de corrida de rua de 10 km, foram aleatoriamente divididos, após a corrida, em 3 grupos de recuperação (grupo controle, grupo imersão e grupo crioimersão). Os corredores foram avaliados quanto a indicadores clínico (percepção subjetiva da dor), bioquímicos (concentração sanguínea de CK), funcionais (distância do salto triplo unipodal e tempo do shuttle run test) e neuromusculares por meio de variáveis isocinéticas (pico de torque, trabalho total, potência, índice de fadiga). Os voluntários realizaram avaliações pré corrida, pós corrida, pós intervenção e 24h pós intervenção. Os dados foram expressos por meio de média e desvio padrão, analisados no pacote estatístico SPSS 20.0. Foi considerado um nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95% para todas as medidas. Resultados: A corrida de 10 km foi suficiente para alterar negativamente o desempenho do ponto de vista bioquímico, funcional e neuromuscular (p<0,05) porém não houve diferenças intergrupos para nenhuma das variáveis analisadas após as devidas intervenções (P>0,05). Conclusão: A CI por 10 minutos à 10 °C não foi eficaz na recuperação de marcadores do dano muscular após corrida de 10 km.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2682821 - EDUARDO CALDAS COSTA
Externo à Instituição - JOSÉ JAMACY DE ALMEIDA FERREIRA - UFPB
Presidente - 2566849 - WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
Notícia cadastrada em: 23/03/2017 08:50
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao