Banca de DEFESA: ALINE MEDEIROS CAVALCANTI DA FONSÊCA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALINE MEDEIROS CAVALCANTI DA FONSÊCA
DATA : 19/12/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Fisioterapia
TÍTULO:

 

Associação entre asma, gênero e ciclo de vida feminino no Brasil: resultado da pesquisa nacional de saúde, 2013


PALAVRAS-CHAVES:

Asma, Gênero, Envelhecimento.


PÁGINAS: 80
RESUMO:

Introdução: A diferença entre gêneros é um assunto já discutido há muito tempo, sob as mais variadas óticas e que perpassa pelas formas de manejo da saúde e das doenças de homens e mulheres. A asma é uma doença crônica que atinge 4,4% da população brasileira e se manifesta diferentemente entre homens e mulheres, com o passar dos anos. A mulher experimenta diversas transformações ao longo da vida e todas elas estão de alguma forma ligadas à produção dos hormônios sexuais. As flutuações hormonais que ocorrem durante a vida das mulheres podem explicar o comportamento da asma ao longo da idade adulta feminina. Objetivo: Investigar a associação entre asma, gênero e ciclo de vida feminino no Brasil. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo transversal, de base populacional, que utilizou dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em 2013 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foram coletados dados de 64.348 domicílios e foram entrevistadas 205.546 pessoas. Para a amostra desse estudo foram incluídos dados de 60.202 moradores (34.282 mulheres e 25.920 homens) que responderam ao questionário individual. A variável desfecho - ter diagnóstico médico de asma, foi avaliada por meio do autorrelato, realizado por profissional especializado, conforme PNS. As variáveis independentes incluíram dados sócio demográficos, hábitos de vida e doenças crônicas. Resultados: Na população geral as mulheres têm 43% mais chance de ter diagnóstico de asma que os homens (OR= 1,43; IC95% 1,24-1,66), em qualquer faixa etária. Ao longo da vida, as mulheres até 50 anos de idade têm mais asma. Após essa idade a prevalência do diagnóstico de asma começa a diminuir e volta a aumentar a partir dos 65 anos. Conclusões: Na amostra populacional brasileira pesquisada, as mulheres têm mais chance de ter diagnóstico de asma do que os homens, em qualquer faixa etária. A asma acomete mais mulheres jovens e idosas. Mulheres de meia-idade parecem estar protegidas contra a doença


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALINE DO NASCIMENTO FALCAO FREIRE MONTE - Estácio
Externo à Instituição - DAMIAO ERNANE DE SOUZA - IBGE
Presidente - 2212151 - ELIZABEL DE SOUZA RAMALHO VIANA
Externo ao Programa - 2446479 - LILIAN LIRA LISBOA
Interno - 2786809 - MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
Notícia cadastrada em: 08/12/2016 13:46
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao