Banca de QUALIFICAÇÃO: LUCIANA PROTASIO DE MELO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUCIANA PROTASIO DE MELO
DATA : 27/10/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Fisioterapia
TÍTULO:

Fatores Preditivos de Independência Funcional durante a Admissão
Hospitalar e a Curto Prazo em Indivíduos Acometidos por AVC no Nordeste
Brasileiro.


PALAVRAS-CHAVES:

AVC. Vigilância em saúde pública. Epidemiologia.
Independência funcional. Fisioterapia.


PÁGINAS: 106
RESUMO:

Contextualização: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) continua como uma das
condições neurológicas mais devastadoras. Um estudo de rastreamento de
fatores de risco mundialmente identificou dez fatores como significativos para o
desenvolvimento do AVC. Em paralelo, a prática de cuidados para
sobreviventes de AVC não tem uma base em evidências, nem ferramentas
fáceis de usar, que possam identificar problemas tanto em longo prazo como
facilitar a referência aos cuidados primários. A qualidade de dados clínicos
pode variar amplamente entre países de baixa/média renda e países de alta
renda, sendo esse um dos motivos que fez com que a Organização Mundial de
Saúde (OMS) tenha recomendado um enfoque STEPwise para vigilância do
AVC. Objetivo: Identificar as variáveis preditoras de independência funcional
nas atividades básicas de vida diária durante a admissão hospitalar, no 100 dia
e no 280 dia após AVC. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo de
seguimento, realizado pelo período de um ano no Hospital Monsenhor
Walfredo Gurgel, na cidade de Natal/Rio Grande do Norte. Participaram
pacientes de ambos os sexos e qualquer idade, que sofreram AVC, analfabetos
e escolarizados, que tinham condições neurológicas de responder os
instrumentos usados na pesquisa. Foram excluídos os pacientes que se
encontravam em estado grave, os que estavam internados na Unidade de
Terapia Intensiva, aqueles que haviam saído para fazer exames em outra
instituição, os que não conseguiram ser contatados após a alta hospitalar e
aqueles que não aceitaram participar da pesquisa. A pesquisa foi aprovada
pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Dois meses antes de se iniciar a pesquisa,
foi realizado um estudo piloto no hospital com 21 pacientes. Duas vezes por
semana, três examinadores faziam um levantamento dos indivíduos internados
com AVC. No mesmo dia, era aplicado o instrumento Step 1 da OMS.Os
dados colhidos nesse momento se referiam à admissão hospitalar. As coletas
do 10º e 28º dias foram realizadas através de contato por telefone, em sua
grande maioria. Os dados foram analisados através do programa Statistical
Package for the Social Sciences, atribuindo-se o nível de significância de 5%.
Resultados: Participaram do estudo 433 pacientes com AVC, sendo a maioria
acometida pelo 10 AVC, mulheres, escolarizadas com mais de 60 anos de
idade. O AVC isquêmico foi o tipo mais comum. Um a três fatores de risco para
AVC foi a condição mais presente, assim como ser admitido no hospital com
menos de 24 horas após o evento. Após a análise de regressão logística, os
modelos para independência funcional nas atividades básicas de vida diária
acusaram em sua totalidade as variáveis idade, realização de fisioterapia na
internação hospitalar e situação do paciente no 280 dia como preditoras dessa
independência. Outras variáveis como quantidade de fatores de risco e
realização de fisioterapia após a alta hospitalar também foram consideradas
em alguns modelos preditivos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2374822 - FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
Presidente - 350635 - TANIA FERNANDES CAMPOS
Externo à Instituição - TIOTREFIS GOMES FERNANDES - UFAM
Notícia cadastrada em: 17/10/2016 13:56
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao