Banca de QUALIFICAÇÃO: ISABELLY CRISTINA RODRIGUES REGALADO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ISABELLY CRISTINA RODRIGUES REGALADO
DATA: 27/10/2015
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPTO DE FISIOTERAPIA
TÍTULO:

INFLUÊNCIA DA DIFERENÇA DE GÊNEROS SOBRE SINTOMAS MOTORES EM INDIVÍDUOS COM DOENÇA DE PARKINSON EM NATAL-RN


PALAVRAS-CHAVES:

Doença de Parkinson, Epidemiologia, Funcionalidade, Gênero.


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

Resumo: Introdução: A Doença de Parkinson (DP) é uma patologia neurodegenerativa crônica, e tem como características clínicas o tremor, rigidez, bradicinesia e alteração postural. Esses sintomas motores apresentados no decorrer da doença podem apresentar prevalência, progressão e gravidade diferenciada entre homens e mulheres. Objetivo: Analisar a influência do gênero sobre os sintomas motores em indivíduos com DP na cidade de Natal-RN. Metodologia A pesquisa consistiu de um desenho epidemiológico observacional, do tipo analítico, de caráter transversal. Os sujeitos foram recrutados em centros de saúde, ambulatórios, clínicas das instituições envolvidas e na comunidade em geral da cidade de Natal- RN. Nesse estudo, foi analisado o perfil neurológico e socioeconômico dos sujeitos por meio de um questionário sócio-demográfico; o estágio de incapacidade dos sujeitos foi analisado através da Escala de Estadiamento de Hoenh e Yahr (HY); os sinais e sintomas relacionados a atividade motora e AVDs foram avaliados pelo Unified Parkinson´s Disease Rate Scale (UPDRS); os distúrbios relacionados a equilíbrio e marcha  foram avaliados através do instrumento Balance Evaluation Systems Test (Mini BESTest ); e a mobilidade funcional e o risco de quedas foram analizados através do o Timed “up and go” (TUG) e teste de sentar e levantar 5 vezes (ST-DP5X). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFRN. Resultados: Encontrou-se uma população predominantemente masculina, com baixa escolaridade, e maior percentual de casados. Todos os sujeitos avaliados em ambos os grupos apresentaram homogeneidade na escala de HY, sendo observado incapacidade de leve à moderado da DP.  Comparando-se o desempenho dos homens e mulheres nos sintomas motores relacionados a AVDs, atividade motora e bradicinesia, avaliados pela UPDRS, e nas variáveis mobilidade funcional e risco de quedas, avaliados pelo TUG, não foram encontradas significância entre o gênero, sugerindo que a DP se apresenta de forma igualitária entre os grupos. Analisando os sintomas motores relacionados ao equilíbrio avaliados pelo Mini BESTest foi observado diferença estatística para o controle postural e escore total do teste, indicando que os homens possuem menor alteração no equilíbrio que as mulheres. Na análise das correlações entre os sintomas motores e estágio de incapacidade foram observadas relações moderadas e fortes, indicando que o estágio de incapacidade da DP aumenta a presença da sintomatologia motora, diferente das correlações entre sintomas motores, anos de diagnóstico e idade, que apresentaram correlações moderadas, fracas ou nulas, sugerindo que a idade e o tempo de doença não são fatores que agravam a DP.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1460020 - ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
Presidente - 2179208 - ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
Externo ao Programa - 2132107 - NUBIA MARIA FREIRE VIEIRA LIMA
Notícia cadastrada em: 26/10/2015 13:48
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao