Banca de DEFESA: HELDER VIANA PINHEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HELDER VIANA PINHEIRO
DATA: 29/05/2015
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Depto de Fisioterapia.
TÍTULO:

TREINAMENTO MUSCULAR INSPIRATÓRIO EM PACIENTES COM ESCLEROSE LATERAL
AMIOTRÓFICA


PALAVRAS-CHAVES:

Esclerose Amiotrófica Lateral, Exercícios respiratórios, Força muscular, Qualidade de vida.


PÁGINAS: 62
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

INTRODUÇÃO: A esclerose lateral amiotrófica (ELA) ou doença do
neurônio motor (DNM) é uma enfermidade neurodegenerativa fatal que
acomete o sistema motor humano, envolvendo fraqueza muscular
progressiva. A maioria dos pacientes com ELA vai a óbito devido ao
declínio da função pulmonar, secundária a fraqueza dos músculos
respiratórios. Embora ainda controverso na literatura, existem
indícios que o treinamento muscular inspiratório (TMI) pode beneficiar
pacientes com ELA atuando como um fator neuroprotetor estimulando a
plasticidade neuronal e muscular. OBJETIVO: Investigar os efeitos de
um programa domiciliar de treinamento muscular inspiratório em
pacientes com esclerose lateral amiotrófica (ELA). MATERIAIS E
MÉTODOS: Para este estudo de casos, os pacientes inicialmente
realizaram uma avaliação clínica e antropométrica, seguida da
aplicação da Medida de Independência Funcional (MIF) e da Escala de
Borg Modificada (0-10). A qualidade de vida relacionada à saúde foi
avaliada através do The Medical Outcomes Study 36- item Short Form
Health Survey (SF-36) e do Amyotrophic Lateral Sclerosis Assessment
Questionnaire (ALSAQ - 40). Foram realizadas a espirometria para
avaliação da função pulmonar (KoKo DigiDoser®, USA), e a
manovacuômetria para as medidas da pressão inspiratória máxima -
PImáx, da Sniff Nasal Inspiratory Pressure - SNIP e da pressão
expiratória máxima - PEmáx (MicroRPM®,UK). Também foram avaliadas a
atividade elétrica dos músculos inspiratórios
(esternocleidomastóideo, escalenos e diafragma) pela eletromiografia de
superfície (EMG System, Brasil) e a espessura e mobilidade do diafragma
através da ultrassonografia diafragmática (HD11 XE Philips, USA). Os
participantes foram avaliados antes e após o programa deTMI
(POWERbreathe®, UK). O protocolo do TMI estabelecido foi de 6 semanas
de treinamento, com 30% da PImáx e reavaliações para reajuste de
carga semanais. RESULTADOS: Foram analisados 3 pacientes com
diagnóstico de ELA, (2 homens), com idades entre 45 a 65 anos. Os
resultados mostraram que houve alteração nas pressões respiratórias
que variaram entre -11,9% e 11,3% na PImáx, na PEmáx entre -18,6%
e 10,9% e na SNIP entre -15,3% e 14,5%. A análise
ultrassonográfica revelou que todos os pacientes tiveram aumento na
espessura diafragmática entre 0,21mm a 1,39mm após o programa de
treinamento, sendo observada variação na mobilidade do diafragma
entre -0,4mm e 0,07mm. A espirometria não mostrou alterações na
CVF, porém a relação VEF1/CVF melhorou entre 6% a 22%. Quando
observada a variável atividade elétrica dos músculos respiratórios,
observou-se que todos os pacientes tiveram maior ativação do músculo
ECM, visto pelo RMS, em relação à PImáx entre -14,4% e 13,9%. A
Qualidade de vida relacionada à saúde avaliada pelo SF36 demonstrou
melhora nas dimensões vitalidade (+55 pontos), estado geral de saúde
(+5 pontos), aspectos sociais (+12 pontos) e saúde mental (4 pontos).
Os domínios avaliados pelo ALSAQ 40/BR não demonstraram melhora dos
aspectos da qualidade de vida. CONCLUSÕES: A análise dos casos
pesquisados sugerem que o protocolo de TMI implementado repercute
diferentemente em pacientes com ELA, no tocante ao ganho de força
muscular respiratória, entretanto este treinamento provoca aumento
estrutural do músculo diafragma determinando também alteração da
mobilidade diafragmática, com interferência em algumas dimensões
da qualidade de vida destes pacientes.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA - UFPI
Presidente - 350636 - GARDENIA MARIA HOLANDA FERREIRA
Interno - 1632408 - PATRICIA ANGELICA DE MIRANDA SILVA NOGUEIRA
Notícia cadastrada em: 27/05/2015 13:47
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao