Banca de QUALIFICAÇÃO: HELDER VIANA PINHEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HELDER VIANA PINHEIRO
DATA: 27/02/2015
HORA: 14:30
LOCAL: SALA DE AULA 2
TÍTULO:

TREINAMENTO MUSCULAR INSPIRATÓRIO EM PACIENTES COM ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA


PALAVRAS-CHAVES:

Esclerose Amiotrófica Lateral,  Exercícios respiratórios, Força muscular, qualidade de vida, capacidade funcional


PÁGINAS: 42
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

Introdução: A maioria dos pacientes com esclerose lateral amiotrófica (ELA) vai a óbito devido ao declínio da função pulmonar, secundária a fraqueza dos músculos respiratórios. Embora ainda controverso na literatura, existem indícios que o treinamento muscular inspiratório (TMI) pode beneficiar pacientes com ELA atuando como um fator neuroprotetor estimulando a plasticidade neuronal e muscular. Objetivo: Investigar os efeitos de um programa domiciliar de treinamento muscular inspiratório em pacientes com esclerose lateral amiotrófica (ELA). Materiais e métodos: Para este estudo piloto quase experimental, os pacientes foram recrutados no Ambulatório Multidisciplinar de Assistência aos Pacientes com Esclerose Lateral Amiotrófica HUOL/UFRN. Os voluntários inicialmente realizaram uma avaliação clínica e antropométrica, seguida da aplicação da Medida de Indepêndencia Funcional (MIF), da Escala de Borg Modificada (0-10), e da Escala de dispneia do Medical Research Council (MRC). A qualidade de vida relacionada à saúde foi avaliada através do The Medical Outcomes Study 36- item Short Form Health Survey (SF-36) e do Amyotrophic Lateral Sclerosis Assessment Questionnaire (ALSAQ - 40). Foram realizadas a espirometria para avaliação da função pulmonar (KoKo DigiDoser®, USA), e a manovacuômetria para as medidas da pressão inspiratória máxima - PImáx, da Sniff Nasal Inspiratory Pressure - SNIP e da pressão expiratória máxima - PEmáx (MicroRPM®,UK). Também foram avaliadas a atividade elétrica dos músculos inspiratórios (esternocleidomastóideo, escalenos e diafragma) pela eletromiografia de superfície (EMG System, Brasil) e a espessura e mobilidade do diafragma através da ultrassonografia diafragmática (HD11 XE Philips, USA). Os participantes foram avaliados antes e após o TMI (POWERbreathe®, UK). O protocolo de TMI estabelecido foi de 6 semanas de treinamento, com com 30% da PImáx e reavaliações para reajuste de carga semanais. Ao término das 6 semanas de treinamento, todos serão reavaliados. A análise dos dados será realizada através do software estatístico SPSS 20.0 e o nível de significância adotado será de 5% (p-valor ≤ 0.05). Resultados esperados: Espera-se com esse estudo identificar quais os efeitos do TMI em um programa domiciliar sobre a força, a atividade elétrica dos músculos respiratórios, a espessura e mobilidade do diafragma, bem como na qualidade de vida e capacidade funcional dos pacientes acometidos pela ELA.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 350636 - GARDENIA MARIA HOLANDA FERREIRA
Interno - 1632408 - PATRICIA ANGELICA DE MIRANDA SILVA NOGUEIRA
Externo ao Programa - 2646619 - RODRIGO PEGADO DE ABREU FREITAS
Notícia cadastrada em: 25/02/2015 10:55
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao