Banca de DEFESA: DIEGO NEVES ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DIEGO NEVES ARAÚJO
DATA: 04/02/2014
HORA: 08:00
LOCAL: Pós-Graduação em Fisioterapia
TÍTULO:

EFEITOS DA APLICAÇÃO DE ONDAS ULTRASSÔNICAS SOBRE  PARÂMETROS MORFOMÉTRICOS E CLÍNICOS E MÉTODO DE  COLETA E ANÁLISE DE METALOPROTEINASES EM SUJEITOS COM ÚLCERAS VENOSAS


PALAVRAS-CHAVES:

Insuficiência Venosa Crônica, Ultrassom, Zimografia


PÁGINAS: 61
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

 

As úlceras  cutâneas  de  origem  venosa  causam  problemas  físicos,  psicológicos  e  financeiros  que  impactam  a  qualidade  de  vida  dos  pacientes.  Alternativas de tratamento são investigadas no intuito de reduzir gastos com a saúde e melhorar a qualidade de vida das  pessoas  acometidas  com  esse  problema.  Recursos físicos como o ultrassom (US) terapêutico vem  sendo  considerados  no  tratamento  de úlceras  como  potencial  agente  cicatrizador.  Esse estudo tratou  de  investigar  a aplicação de US  como terapêutica para a úlcera venosa.  Indivíduos foram divididos em dois grupos: grupo US, onde o  tratamento  consistia de 5 sessões de aplicação de US  pulsado (3 MHz, 1W/cm²)  associadas à terapia compressiva e cinesioterapia; e  grupo  placebo,  onde  os  indivíduos  passavam  pelos  mesmos  procedimentos, exceto  o  US.  Foram  avaliados  quanto  ao  tamanho  do  ferimento  por  planimetria  e fotografia  digital,  dor  por  escala  visual  analógica,  qualidade  de  vida  pelos questionários  SF-36  e  VEINES-QoL/Sym  e  atividade  enzimática  de metaloproteinases 2 e 9 por meio de zimografia.  Foi observada  redução média da área da ferida  41,58%±53,8 para o grupo US e 63,47%±37,2  para o grupo placebo, manutenção dos escores de qualidade de vida no grupo US e melhora  significativa(p<0,05)  no grupo Placebo pelo questionário VEINES, diminuição da  percepção de dor no grupo placebo e viabilidade de amostra para análise da atividade proteica de metaloproteinases  2  e  9  por  zimografia  coletada  por  método  de  swab.  Diante  dos dados, não obtivemos evidências suficientes para suportar a teoria que o US acelera a  cicatrização  de úlceras  venosas  em  curto  prazo.  No  entanto,  pudemos observar que o tratamento padrão associado à terapia compressiva e à cinesioterapia foram capazes de abreviar significativamente a progressão das úlceras venosas crônicas.

 




MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1323472 - FERNANDO AUGUSTO LAVEZZO DIAS
Interno - 1545315 - GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
Externo à Instituição - PEDRO DAL LAGO - UFCSPA
Notícia cadastrada em: 29/01/2014 16:52
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao