Banca de DEFESA: NICOLE SOARES OLIVER CRUZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NICOLE SOARES OLIVER CRUZ
DATA: 29/11/2013
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA
TÍTULO:

Comparação da resposta fisiológica entre diferentes testes funcionais em obesos


PALAVRAS-CHAVES:

Obesidade; Teste de esforço cardiopulmonar; Consumo de oxigênio


PÁGINAS: 84
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

 

Introdução: a obesidade afeta diretamente a capacidade funcional diminuindo a eficiência do sistema cardiovascular e o consumo de oxigênio (VO2). Testes de campo, tais como, Incremental Shuttle Walking Test (ISWT) e Teste de Caminhada de 6 minutos (TC6M) tem sido empregados como alternativa ao Teste de Esforço Cardiopulmonar (TECP), para avaliação funcional de patologias que levam a diminuição da transferência de oxigênio à periferia, entretanto, pouco é conhecido da resposta fisiológica de variáveis metabólicas e ventilatórias em obesos durante testes incrementais de exercício. Objetivo: analisar e comparar as respostas cardiopulmonares, metabólicas (VO2pico-consumo de oxigênio-picoe VCO2-produção de dióxido de carbono) e de esforço percebido nos testes submáximos de esforço (ISWT e TC6M) com o TECP. Materiais e Método: estudo de acurácia, onde foi avaliada a concordância de dois diferentes testes de campo (TC6M e ISWT) com o TECP. Critérios de Inclusão (IMC > 30Kg/m2; CVF > 80%). Os participantes realizaram avaliação clínica, antropométrica (IMC, IAC-índice de adiposidade corporal, RCQ-relação cintura-quadril, CQ-circunferência quadril, CC-circunferência cintura, CP-circunferência pescoço) e espirométrica (CVF-capacidade vital forçada, VEF1-volume expiratório forçado no 1° segundo, VVM-ventilação voluntária máxima). Obesos realizaram em momentos distintos a sequência de testes (TECP, TC6M e ISWT). Medidas ventilatórias (VE-ventilação por minuto, VE/VO2-equivalente ventilatório de oxigênio, VE/VCO2-equivalente ventilatório de dióxido de carbono, RER-razão de troca gasosa) e metabólicas (VO2 e VCO2) dos gases expirados (breath-by-breath) com sistema de telemetria (Cortex-Biophysik-Metamax3B), além das variáveis de percepção de esforço (fadiga e dispneia-Borg6-20) foram tomadas. Resultados: os participantes eram adultos jovens (39.4+10.1 anos), %CVF=93.7+9.7, com altos percentuais de adiposidade corporal (IAC=50.0+10.5%-mulheres; IAC=48.8+16.9%-homens) e IMC=43.5+6.6. Observou-se que IMC e CC justificaram isoladamente 56% e 48% da variância da duração do TECP. Diferenças de VO2ml/kg/min e %VO2 nos obesos foram encontradasapenas entre TECP e TC6M (%VO2 p=0.008 em mulheres e p=0.01 nos homens), sendo os valores de VO2PICO de 18.6+4.0ml/kg/min no TECP; 15.4+2.9 no ISWT e 13.2+2.5 no TC6M. O Bland-Altman evidenciou concordância entre TECP e o ISWT no VO2PICO (3.2ml/kg/min; 95%; IC -3.0 – 9.4) e no %VO2 (16.4%; 95%; -23.6 – 56.4). A análise da produção de CO2(l/min) confirmou uma maior produção ao final do TECP (2.3+1.0), seguido do ISWT (1.7+0.7) e TC6M (1.4+0.6), porém com diferenças apenas entre o TECP e TC6M (p<0.01). Conclusão: apesar de considerado um teste de esforço submáximo, o ISWT promove respostas metabólicas e cardiovasculares semelhantes ao TECP na população obesa, sugerindo que o ISWT pode ser uma boa opção para avaliar a capacidade funcional de obesos.



MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - AUDREY BORGHI SILVA - UFSCAR
Presidente - 1149619 - SELMA SOUSA BRUNO
Interno - 2566849 - WOUBER HERICKSON DE BRITO VIEIRA
Notícia cadastrada em: 18/11/2013 09:10
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao