Banca de DEFESA: ALICE BARROS CÂMARA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALICE BARROS CÂMARA
DATA : 12/08/2021
HORA: 14:00
LOCAL: defesa remota - sala GoogleMeet
TÍTULO:
EFEITOS COMPORTAMENTAIS E NEUROQUÍMICOS DA ATIVAÇÃO DO RECEPTOR DA NOCICEPTINA/ORFANINA FQ NO ESTRESSE DE DERROTA SOCIAL EM CAMUNDONGOS

PALAVRAS-CHAVES:
nociceptina/orfanina FQ; Receptor NOP; depressão maior; derrota social; estresse oxidativo

PÁGINAS: 92
RESUMO:
Vários receptores têm sido associados com a depressão. Entretanto, o papel do receptor NOP na depressão, ainda não é amplamente é reconhecido. Sabe-se que o receptor NOP tem ampla expressão no sistema nervoso e observou-se que a ativação deste receptor induz efeitos inibitórios, causando redução da liberação de neurotransmissores e/ou inibição do disparo neuronal, dependendo do sítio (pré ou póssináptico) no qual é expresso. Dessa forma, este estudo tem o objetivo de avaliar os possíveis efeitos comportamentais e bioquímicos do agonista RO65-6570 do receptor NOP em camundongos submetidos à condição de estresse social. Camundongos machos Swiss foram empregados neste estudo. Para avaliar o comportamento do tipo depressivo nos animais foram utilizados o teste do campo aberto, teste de interação social e teste de suspensão pela cauda. Além disso, foram utilizadas amostras de sangue e tecido para avaliar o estresse oxidativo em lipídeos e proteínas dos animais. O agonista NOP, Ro 65-6570 (1 mg/kg, ip) ou o estresse de derrota social reduziram a taxa de exploração no teste de campo aberto realizado seis dias após o protocolo de derrota social. O estresse de derrota social ou o tratamento com o agonista NOP também reduziram o número de levantamentos dos animais no campo aberto no penúltimo dia do protocolo de derrota social. O estresse de derrota social e/ou o agonista NOP aumentaram o tempo de imobilidade no teste de suspensão pela cauda realizado oito dias após o protocolo de derrota social, bem como reduziu a interação social dos animais no último dia do protocolo de derrota social. No entanto, sete dias após a finalização do protocolo, apenas a droga isoladamente conseguiu afetar a interação dos animais. Adicionalmente, o agonista NOP (1 mg/kg, ip) elevou a concentração de proteínas carboniladas (grupos carbonilas) no hipocampo. O estresse de derrota social e o agonista NOP, em conjunto, elevou o malondialdeídeo no soro e no córtex pré-frontal dos animais, assim como elevou a concentração de grupos carbonilas no córtex pré-frontal. Por fim, a droga por si só, foi capaz de elevar o malondialdeideo no soro. O estresse de derrota social e o agonista NOP não exerceram efeitos na distancia percorrida, na variação de peso dos animais, na defecação, no grooming, e na concentração de malondialdeideo do hipocampo. A ativação da sinalização do receptor NOP pode facilitar a aquisição do comportamento depressivo sub-crônico em animais, observado através de alguns testes comportamentais. A ativação do receptor NOP e o estresse de derrota social (em conjunto) podem estar relacionados com a peroxidação lipídica no sangue e no córtex pré-frontal de animais, além da oxidação proteíca no córtex pré-frontal. Isoladamente, a droga também pode contribuir para a peroxidacão lipídica no soro e oxidação proteica no hipocampo dos camundongos. Esses achados indicam um perfil pró-depressivo crônico induzido pela ativação da sinalização do receptor NOP, algumas vezes independentemente da presença do agente estressante (protocolo de derrota social). Por fim, sugerimos que um dos mecanismos relacionados com a participação do receptor NOP no transtorno depressivo seria a ativação de vias envolvidas no estresse oxidativo. 

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645202 - ELAINE CRISTINA GAVIOLI
Interno - 811.318.790-15 - FABIANO PERES MENEZES - UFRN
Interno - 2998660 - MARIO ANDRE LEOCADIO MIGUEL
Externa à Instituição - JULIA JENSEN DIDONET - UNIP
Externa à Instituição - LISIANE DE SANTANA SOUZA - UFRJ
Notícia cadastrada em: 02/08/2021 13:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao