Banca de DEFESA: NATHALIA EVELYN MARTINS LEITE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NATHALIA EVELYN MARTINS LEITE
DATA : 04/08/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Online - Videoconferência
TÍTULO:

Influência da satisfação conjugal e do estresse em mulheres no tratamento de fertilização in vitro


PALAVRAS-CHAVES:

Ajustamento diádico, estilo de apego, satisfação sexual, cortisol, reprodução assistida. 


PÁGINAS: 74
RESUMO:

Uma das técnicas de reprodução assistida mais utilizada atualmente é a fertilização in vitro (FIV), porém, a taxa de sucesso média mundial observada para essa terapia é de cerca de 30%. Aspectos fisiológicos e psicológicos parecem contribuir para o desfecho do tratamento. Assim, este trabalho analisou como o estresse psicofisiológico (avaliado pelo estresse geral de Lipp, estresse referente a infertilidade e resposta do cortisol salivar ao despertar – CAR) e a satisfação conjugal (avaliada pelo ajustamento diádico, satisfação sexual e estilo de apego) se relacionam com o desfecho da FIV, e ainda se alguns desses parâmetros predizem o sucesso no tratamento. Esse foi um estudo transversal realizado na Maternidade Escola Januário Cicco da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, ao longo do ano de 2017, com 20 mulheres no primeiro ciclo de FIV. Foi visto que as participantes com sucesso no tratamento, ou seja, que engravidaram, apresentaram maior coesão diádica, maior satisfação sexual e menor CAR. A coesão diádica se mostrou preditora do sucesso. Um maior ajustamento e consenso diádico relacionou-se com ausência de estresse geral, sendo o consenso diádico preditor da ausência de estresse. De fato, a maior parte da amostra estava livre de estresse psicológico, e as mulheres com níveis de estresse agudo foram aquelas com o estilo de apego preocupado. Esses resultados evidenciam a importância dos baixos níveis de cortisol e de um bom relacionamento conjugal para o sucesso da FIV. Portanto, estratégias que auxiliem as pacientes a lidarem com os estressores inerentes ao tratamento e ao relacionamento conjugal devem ser investigadas e aplicadas a fim de incrementar o sucesso do tratamento. Destaca-se também a importância de novos estudos para compreender melhor a relação desses fatores psicofisiológicos com o desfecho da FIV com um número amostral maior, como também avaliar o perfil de mulheres que buscam tratamento em clínicas privadas, o qual pode variar do perfil encontrado nesse estudo de uma amostra populacional de menor poder socioeconômico com tratamento custeado pelo Serviço Único de Saúde (SUS).

   


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1718518 - NICOLE LEITE GALVAO COELHO
Interna - 6346130 - MARIA BERNARDETE CORDEIRO DE SOUSA
Externa à Instituição - ANAGLÓRIA PONTES - UNESP
Notícia cadastrada em: 23/07/2021 15:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao