Banca de DEFESA: DÉBORA LOUISE DA CRUZ SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DÉBORA LOUISE DA CRUZ SILVA
DATA : 21/06/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

Should I call or should I hold? Factors affecting food-associated calls in wild Callithrix jacchus


PALAVRAS-CHAVES:

Comunicação vocal; Socialidade em primatas; Comportamento alimentar; Cuidado aloparental.


PÁGINAS: 87
RESUMO:

Vocalizações associadas a alimentos são de comum ocorrência em primatas, possuindo por principal função a atração de coespecíficos para fontes alimentares, que podem beneficiar os emissores através do aumento de aptidão inclusiva e diluição do risco de predação. Em contrapartida, elevando as chances de competição por recursos. Em primatas reprodutores cooperativos, essas vocalizações podem sinalizar uma maior proatividade para partilhar recursos quando há infantes no grupo. Já na ausência de infantes, os indivíduos podem adotar estratégias para compensar os custos associados ao cuidado à prole e aumentar o ganho energético. Dessa forma, nós avaliamos o comportamento vocal de Callithrix jacchus em contexto alimentar, sob a ótica do cuidado cooperativo e da competição intragrupo. Assim, realizamos uma série de experimentos onde os saguis encontravam alimentos variáveis em quantidade e qualidade, durante períodos com e sem infantes no grupo. Considerando o primeiro animal a descobrir o alimento, avaliamos a latência para vocalizar, o tempo de alimentação até emitir o primeiro chamado, e a taxa de emissão de chamados antes da chegada dos demais. Analisamos ainda os efeitos que o status social, a presença de infantes e as diferentes condições experimentais apresentaram nessas variáveis comportamentais. Em geral, observamos uma maior participação dos ajudantes em todos os experimentos. Os machos ajudantes, na presença de infantes, tiveram uma resposta vocal mais rápida, um menor tempo de ingestão e um aumento na produção de chamados alimentares. Na ausência de infantes, observamos o resultado inverso, evidenciando uma maior proatividade e motivação para partilhar quando o cuidado à prole é necessário. Quanto às diferentes condições experimentais, as fêmeas ajudantes mostraram um aumento na latência para vocalizar e um maior consumo para condições com pouco alimento, o que pode indicar uma menor propensão para partilhar recursos limitados. Enquanto machos exibiram menor latência e consumo apenas para alimentos alta qualidade. Nossos resultados refletem a dinâmica social de grupos de Callithrix jacchus e corroboram uma maior prosocialidade proativa dos machos ajudantes e o papel crucial desses no cuidado dos infantes, e um perfil mais competitivo e menos cooperativo por parte das fêmeas subordinadas


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149552 - ARRILTON ARAUJO DE SOUZA
Interna - 990.796.828-53 - MARIA EMILIA YAMAMOTO - UFRN
Externo à Instituição - JUDITH BURKART
Externa à Instituição - MARIA ADELIA BORSTELMANN DE OLIVEIRA - UFRPE
Notícia cadastrada em: 17/06/2021 18:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao