Banca de DEFESA: NATALIA ANDREA CRACIUN BOCCARDI

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NATALIA ANDREA CRACIUN BOCCARDI
DATA : 27/03/2021
HORA: 08:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:
Investigando a relação entre a pró-socialidade e a classe socioeconômica em crianças

PALAVRAS-CHAVES:
pró-socialidade; status socioeconômico; jogos econômicos; observação comportamental; evolução das hierarquias.

PÁGINAS: 232
RESUMO:
Existe um constante esforço dos pesquisadores em entender quais são os fatores universais que favorecem ou desfavorecem a pró-socialidade em suas várias formas. Um desses fatores é a classe socioeconômica (classe). As evidências sobre a relação entre classe e pró-socialidade são controversas, tanto em crianças quanto em adultos. Esta tese investiga essa relação em crianças utilizando diferentes métodos. O primeiro capítulo apresenta uma introdução geral. O segundo capítulo faz uma revisão teórica sobre a evolução das hierarquias sociais e a influência da classe na pró-socialidade. Os três capítulos seguintes são empíricos, desenvolvidos a partir de três bancos de dados coletados em 2012-2013 e 2018-2019. Inicialmente, no terceiro capítulo demos um passo para trás e verificamos se os jogos econômicos apresentam validade inter-situacional e validade externa. Para isso, utilizamos o Jogo dos Bens Públicos, o Jogo do Ditador, escalas de auto-relato e fizemos observações comportamentais. Os resultados indicam que é preciso ter cautela antes de inferir algum fenótipo pró-social ao indivíduo a partir dos resultados dos jogos. O quarto capítulo faz o primeiro recorte de classe. Através de três estudos, avaliamos a relação entre diferentes medidas de classe e contextos sociais. Os resultados demonstraram que essas duas variáveis moderaram a diferenciação das classes, sugerindo que não se trata de uma associação simples e universal. O quinto capítulo concentra suas atenções em um único critério de classe individual, a educação parental. Através de dois estudos sugerimos que a educação parental e a pró-socialidade das crianças também se associam de forma complexa. De forma geral, os estudos empíricos contribuem com a discussão sobre a pró-socialidade nas crianças e indicam que pessoas de diferentes classes não têm necessariamente preferências pró-sociais distintas, mas variam conforme o comportamento que está sendo investigado, o contexto envolvido e o critério de classe adotado. Até onde sabemos, esses são os primeiros estudos brasileiros a investigar a relação entre classe e pró-socialidade de crianças através de multi-métodos. Por fim, o sexto capítulo resume algumas atividades de colaboração e extensão realizadas ao longo do doutorado.

MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - DANDARA DE OLIVEIRA RAMOS - UFBA
Externa à Instituição - ANUSKA IRENE DE ALENCAR - UFRN
Interna - 1350337 - FIVIA DE ARAUJO LOPES
Presidente - 990.796.828-53 - MARIA EMILIA YAMAMOTO - UFRN
Externa à Instituição - PATRICIA IZAR - USP
Notícia cadastrada em: 17/03/2021 02:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao