Banca de DEFESA: ANA KELLY DE ALMEIDA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA KELLY DE ALMEIDA
DATA : 02/06/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

O uso do método Somatic Experiencing®-SE ™ e sua eficácia em uma amostra de homens com diagnóstico clínico de Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT)


PALAVRAS-CHAVES:

Transtorno de estresse pós-traumático; assalto; Somatic Experiencing®; Hormônios esteroides; afeto; validação questionário; DSM-IV; DSM-5.


PÁGINAS: 181
RESUMO:

O Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) se caracteriza essencialmente pelo desenvolvimento de sintomas clínicos de natureza psicológica, fisiológica e comportamental após a exposição a um ou mais eventos traumáticos que podem variar entre os diferentes indivíduos, apresentando diferentes combinações de padrões sintomáticos incluídos nos critérios diagnósticos da doença (DSM-IV). No mundo contemporâneo, é crescente a violência nos centros urbanos, com ocorrência de assaltos ou roubos seguidos de morte que levam ao desencadeamento do TEPT. Evidências a partir de estudos sobre a neurobiologia do TEPT demonstraram sistemas neurais particularmente envolvidos na sua fisiopatologia e diferentes tipos de abordagens para tratamento. Por exemplo, existem várias abordagens e métodos terapêuticos de natureza somática, entre elas o método SE™ – Somatic Experiencing® (Experiência Somática), centradas na melhora dos sintomas de estresse crônico e estresse pós-traumático. Nesse contexto, os objetivos deste estudo envolvem 3 aspectos relacionados ao TEPT: (1) revisar o estado da arte no uso de tratamentos complementares usando abordagens somáticas no TEPT; (2) investigar possíveis mudanças em escalas psicométricas e marcadores biológicos associados ao tratamento do TEPT utilizando a técnica de SE ™ em homens adultos, vítimas de assalto na cidade de Natal, com e sem tratamento farmacológico, e (3) validar, a partir de uma amostra da população adulta em geral, um questionário estruturado para triagem e verificação dos sintomas de TEPT, baseado no DSM-5. No primeiro estudo foi realizada uma revisão sistemática onde se constatou a existência de poucos estudos, usando técnicas como Ioga, Mindfulness, Brainspotting e o método da SETM particularmente para este último. No segundo estudo foi utilizada uma amostra composta por 23 participantes, divididos em dois grupos, sendo que seis faziam uso (GM) e 17 não faziam de medicação (GS) para o TEPT, para investigar a eficácia do tratamento usando o método SETM. Os resultados evidenciaram uma diminuição significativa na escala de Impacto do TEPT e escala de Afeto negativo, na ausência de diferença entre os níveis de cortisol antes e após a terapia. Foi observado também aumento significativo nos escores de Afeto positivo associados e aumento da escala de Percepção do bem estar esta última no acompanhamento de 3 meses após a terapia. Os resultados em relação às escalas de Impacto, Afeto e Percepção de bem estar foram semelhantes aos do GM, para os indivíduos do grupo GS como um todo (n=17), antes e após a terapia. No GS, adicionalmente, os valores médios para o cortisol e a PCR também se mantiveram sem alterações significativas quando comparadas as condições antes e após o SETM. Quando o grupo GS foi separado considerando os graus de TEPT leve, moderado e grave, foi encontrada uma diferença nas escalas psicométricas entre os graus leve e moderado em relação ao grave, em termos de maior diminuição dos sintomas após a SETM. Todavia não houve diferenças significativas quando foi considerada a classificação do TEPT em agudo e crônico. Pode ser sugerido que a eficácia do SETM foi significativa uma vez que que tanto pacientes medicados como não medicados se beneficiaram igualmente. Deste modo, pode ser sugerido o uso do SETM como tratamento complementar que pode ser melhor utilizado por profissionais que trabalham com o TEPT. O estudo 3 teve como objetivo validar um instrumento baseado no DSM-5 para triagem e verificação de sintomas do TEPT. A escala proposta, foi construída com 41 itens e respondida por 408 participantes (254 mulheres e 154 homens), resultando em quatro fatores empíricos, agrupando itens de diferentes critérios sintomáticos do TEPT. A análise fatorial exploratória, abrangendo a análise das cargas fatoriais, indicou um construto unidimensional na escala. Os quatro fatores (Hiperestimulação, Dificuldades de cognição e humor, Intrusão e Evitação) apresentaram valores de consistência interna calculadas pelo teste Alfa de Cronbach iguais a 0,94, 0,83, 0,94 e 0,70, respectivamente. As médias obtidas a partir dos quatro fatores dos grupos de sujeitos diagnosticados (n = 152) e não diagnosticados com TEPT (n = 249) foi significativamente diferente (p= 0,000). Nesse sentido, foi possível demonstrar uma correlação fortemente significativa entre os fatores e a pontuação da Escala de Impacto de Evento.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - LIANA RODRIGUES NETTO
Externa à Instituição - CÍNTIA SATIKO FUZIKAWA - UFMG
Externo à Instituição - EMERSON ARCOVERDE NUNES - EBSERH
Presidente - 6346130 - MARIA BERNARDETE CORDEIRO DE SOUSA
Externa à Instituição - Melyssa Kellyane Cavalcanti Galdino - UFPB
Externa à Instituição - PAULA ADRIANA BORBA - UnP
Notícia cadastrada em: 21/05/2020 13:18
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao