Banca de DEFESA: JADDE EMMYLLE SILVA DE MOURA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JADDE EMMYLLE SILVA DE MOURA
DATA : 17/04/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Pop-RN da RNP, Centro de Convivência da UFRN
TÍTULO:

Rosas São Vermelhas e Violetas São Azuis? A Influência das Emoções Sobre a Percepção de Cores.


PALAVRAS-CHAVES:

Visão, Percepção de cores, Emoções, Daltonismo.


PÁGINAS: 27
RESUMO:

As cores não são apenas um estímulo estético, elas também afetam diretamente a cognição e o comportamento humano. Estudos denominados de psicodinâmica e psicologia das cores, por exemplo, indicam que as cores de um objeto, ou de um local, podem induzir emoções. As emoções, por sua vez, também interferem na visão e percepção das cores, devido à capacidade de determinados estados emocionais induzirem alterações em importantes neurotransmissores, afetando diretamente a excitação que por sua vez provoca contrações ou dilatações na pupila, alterando a quantidade de luz que chega até a retina. Emoções negativas como a tristeza, por exemplo, prejudicariam a percepção visual da cor por desencadear reações que promovem quedas nos níveis de dopamina, e interromperem a contração da pupila, consequentemente prejudicando a sensibilidade ao contraste cromático. Já estados emocionais positivos, como a alegria, poderiam ser responsáveis por ampliar a atenção visual. A presente pesquisa objetivou observar a influência dos estados emocionais de alegria ou tristeza sobre a percepção de cores da visão humana. Investigamos tal influência em indivíduos com visão em cores normal e em indivíduos daltônicos, que por sua vez já não conseguem distinguir determinadas cores, a pesquisa contou com a participação de 74 homens com idades entre 18 e 35 anos, daltônicos e não daltônicos. Todos os participantes foram submetidos ao Inventário de Depressão de Beck (BDI), ao Teste de Ishihara, e ao teste de percepção de cores de Lanthonny D-40 Hue, e assistiram a um vídeo de aproximadamente 3 minutos de estímulo emocional. Após a exibição dos vídeos os participantes realizaram novamente o teste de percepção de cores e foi avaliado se houve ou não mudança significativa no desempenho da capacidade de sua percepção cromática. Os dados resultantes deste trabalho sugerem que há influência significativa da emoção tanto sobre a percepção de cores quanto para o tamanho da pupila. Sendo assim, como hipotetizado inicialmente, não apenas informações semânticas, mas também aspectos emocionais parecem estar envolvidos na cognição visual e consequentemente na percepção de cores da visão humana.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1350337 - FIVIA DE ARAUJO LOPES
Interno - 2998660 - MARIO ANDRE LEOCADIO MIGUEL
Externo à Instituição - NELSON TORRO ALVES - UFPB
Notícia cadastrada em: 12/04/2018 15:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao