Banca de DEFESA: BRENO TERCIO SANTOS CARNEIRO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : BRENO TERCIO SANTOS CARNEIRO
DATA : 30/06/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Museu de Ciências Morfológicas
TÍTULO:

Avaliação do odor alimentar como uma pista temporal em ratos sincronizados à disponibilidade de alimento


PALAVRAS-CHAVES:

Atividade antecipatória ao alimento; Oscilador sincronizado por alimento; Odor; Estimulação olfativa.


PÁGINAS: 74
RESUMO:

A ritmicidade circadiana se apresenta como um aspecto comum nos seres vivos, sendo o ciclo claro-escuro de 24h seu mais evidente sincronizador ambiental. A disponibilidade de alimento se constitui também como um sincronizador ambiental, o que é evidenciado em muitas espécies. Em mamíferos, a sincronização por alimento é caracterizada principalmente pelo aumento da locomoção, da vigília e da temperatura central nas horas que antecedem a alimentação. Evidências convincentes mostram que esta antecipação é controlada por um verdadeiro sistema de oscilação circadiana, embora não se conheça sua estrutura física. A busca pelo substrato físico do oscilador sincronizado por alimento sempre foi o principal foco da pesquisa nesta área, sendo que evidências recentes mostram que várias regiões cerebrais parecem estar envolvidas na sincronização por alimento. Nos últimos anos, além da busca pelo substrato neural deste sistema, têm-se dado atenção aos seus possíveis mecanismos de sincronização. Em outras palavras, quais seriam os sinais responsáveis pela sincronização do sistema. Neste trabalho, o objetivo foi investigar se a estimulação diária com odor alimentar é um sinal suficiente para induzir antecipação em ratos Wistar. Os animais foram mantidos em ciclo claro-escuro de 14h de luz e 10h de escuro com registro contínuo da atividade motora dentro de cabines de madeira. Foram utilizados quatro grupos: Ração, Odor, Alerta e Alerta Isolado. Todos foram submetidos a 10 dias de alimentação à vontade (linha de base). Em seguida, foi iniciada a etapa de Restrição Alimentar (19 dias). Por fim, todos os grupos foram submetidos a Privação Alimentar (2 dias). O grupo Ração recebeu duas refeições por dia com duração de uma hora cada, sendo a ‘Refeição 1’ na 3ª hora da fase de claro e a ‘Refeição 2’ na 12ª hora da fase de claro. O grupo Odor recebeu estimulação com odor na 3ª hora da fase de claro (‘Refeição 1’) e alimentação na 12ª hora. O grupo Alerta foi apenas estimulado (abertura e fechamento da cabine) na ‘Refeição 1’ e alimentado na ‘Refeição 2’. O grupo Alerta Isolado foi submetido ao mesmo procedimento anterior, mas foi testado isoladamente na sala. Todos os grupos apresentaram atividade antecipatória intensa à ‘Refeição 2’ (alimentação). Para a ‘Refeição 1’, o grupo Ração apresentou intensa antecipação, os grupos Odor e Alerta apresentaram leve atividade antecipatória principalmente nos primeiros 10 dias de estimulação, e o grupo Alerta Isolado não apresentou antecipação. Os resultados indicam que a estimulação com odor é capaz de promover antecipação comportamental, porém de maneira fraca, com habituação ao longo dos dias. A respostas semelhantes entre os grupos Odor e Alerta são discutidas considerando o possível efeito do odor na sala de experimentação.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CRHISTIANE ANDRESSA DA SILVA - UFPE
Externo ao Programa - 1110960 - JANE CARLA DE SOUZA
Presidente - 1216466 - JOHN FONTENELE ARAUJO
Interno - 2998660 - MARIO ANDRE LEOCADIO MIGUEL
Externo à Instituição - RHOWENA JANE BARBOSA DE MATOS - UFPE
Notícia cadastrada em: 19/06/2017 10:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao