Banca de DEFESA: VITOR HUGO BESSA FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VITOR HUGO BESSA FERREIRA
DATA : 24/03/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Aula da Psicobiologia
TÍTULO:

Enfrentando O Estresse: Um Estudo Comportamental E Fisiológico Em Macacos-Prego (Sapajus Libidinosus) Cativos


PALAVRAS-CHAVES:

Perfil comportamental, estratégias de enfrentamento, metabólitos fecais, bem-estar animal, macaco prego.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

Considerar o bem-estar de animais em cativeiro é primordial para cuidar da saúde física e psicológica dos indivíduos. No entanto, apesar de vários indicadores disponíveis (ex. comportamentais, bioquímicos e fisiológicos), a integração de resultados ainda gera dúvidas sobre o real estado de bem-estar de um indivíduo. Neste trabalho testamos a hipótese de que a incongruência entre os indicadores de bem-estar ocorre porque  os animais, dentro da mesma população, diferem na maneira como se comportam e reagem face aos estímulos. Usamos como modelo macacos-pregos cativos aos cuidados do CETAS de Natal/RN e Cabedelo/PB e do zoológico de João Pessoa/PB. No primeiro capitulo, revisamos diversos conceitos e metodologias do estudo da personalidade animal. No segundo capitulo, definimos os eixos do perfil comportamental (GNB - Comportamento Normativo de Gênero) e de enfrentamento ao estresse (BPIS - Comportamentos Potencialmente Indicativos de Estresse), e  verificamos se há compatibilidade com o perfil  fisiológico (Metabólitos Fecais de Glicocorticóides - MFG) dos animais em condição de estresse crônico de cativeiro. No terceiro capitulo, analisamos se os diferentes tipos comportamentais reagem a um estresse agudo de mudança de recinto. Nossos resultados principais foram: Individuos que locomovem mais exibem BPIS mais rápidos (ex. giro de cabeça), enquanto indivíduos mais inativos exibem BPIS mais estacionarias. Em ambos os extremos do eixo atividade-inatividade, os animais mostram sinais fisiológicos de baixo grau de bem-estar. Animais mais sociáveis são mais resilientes, tanto a nível fisiológico quanto a nível comportamental ao estresse crônico. Após um estresse agudo, os indivíduos que pontuam positivamente nos eixos Sociabilidade e Exploraçao exibem melhor adaptação ao ambiente novo. Nossos resultados corroboram modelos indicando a existência de diferentes perfis comportamentais que reagem de forma diferente ao estresse e que apresentam perfis fisiológicos. O padrão encontrado assemelha-se ao descrito em outros trabalhos para outras espécies e podem lançar luz sobre a evolução e plasticidade comportamental no reino animal.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1718518 - NICOLE LEITE GALVAO COELHO
Externo à Instituição - OLÍVIA DE MENDONÇA FURTADO PIMENTA - USP
Presidente - 2696495 - RENATA GONCALVES FERREIRA
Notícia cadastrada em: 13/03/2017 16:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao