Banca de QUALIFICAÇÃO: ZOÉLIA CAMILA MOURA BESSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ZOÉLIA CAMILA MOURA BESSA
DATA: 25/11/2014
HORA: 17:00
LOCAL: Sala de Aula da Pós-Graduação em Psicobiologia
TÍTULO:

Mecanismos de sincronia social no ritmo circadiano de atividade em casais de saguis (Callithrix jacchus)


PALAVRAS-CHAVES:

Ritmo circadiano de atividade, sincronização, pistas sociais, arrastamento, mascaramento, sagui.


PÁGINAS: 51
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Em saguis, foi observado que a sincronia social entre os perfis circadianos de atividade dos animais que vivem em grupo é mais forte entre os indivíduos de uma mesma família do que entre famílias diferentes. Dentro do grupo é mais forte entre juvenis do que entre juvenis e seus pais. No entanto, são desconhecidos os mecanismos envolvidos na sincronia social. Com o objetivo de investigar os mecanismos de sincronização envolvidos na sincronia entre os perfis circadianos de atividade em casais de saguis, foi registrada continuamente a atividade motora por actímetros em 3 díades. Os casais foram submetidos a duas condições de iluminação: ciclo claro escuro CE 12:12 (21 dias), e depois a condições de claro constante (~350 lux). Nesta etapa, os casais foram submetidos a 4 situações experimentais: 1. convívio completo (24 dias), 2. remoção de um membro do casal para outra sala com condições semelhantes (20 dias), 3. reintrodução do membro do casal na gaiola da 1° situação (30 dias), e 4. remoção do membro de cada casal para outra sala experimental (7 dias) para avaliar os mecanismos de sincronização. Por fim, os casais foram novamente submetidos ao ciclo CE 12:12 por 10 dias. Considerado apenas os resultados parciais do experimento, os casais entraram em livre curso em CC na condição “juntos” com período menor do que 24 h (23,7 h), enquanto que em CC separado, apenas 2 fêmeas entraram em livre curso (períodos: 23,1 e 23,8 h). A outra fêmea e os machos mantiveram um período em torno de 23, 9 a 24 h, com uma relação de fase estável com o ciclo CE do ambiente externo, provavelmente sincronizados pelos saguis da parte externa da colônia. O início e o fim da fase ativa anteciparam progressivamente na transição entre CE e CC juntos, assim como entre CC juntos e CC separados, demonstrando sinais de arrastamento. A correlação geral e máxima entre os animais foi mais forte em CE e CC juntos do que em CC separado, evidenciando o efeito social. Os casais tiveram maiores valores para a correlação máxima em CE e CC juntos do que quando os perfis foram correlacionados com animais de gaiolas diferentes de mesmo ou diferente sexo. Resultados semelhantes foram observados na correlação geral, à exceção de um casal. Em relação à diferença do angulo de fase para o início da fase ativa, observou-se que em CC separado, dois machos iniciaram a atividade mais tarde do que suas respectivas fêmeas, caracterizando um ângulo de fase negativo. Apenas um macho apresentou o fim da atividade mais tarde do que sua respectiva fêmea. O total da atividade diminuiu para 2 animais em CC separado, e para 1 destes animais em CC juntos. Independente do regime de iluminação, o convívio social influenciou de forma intensa a sincronia entre os perfis circadianos de atividade de casais de saguis.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1199136 - CAROLINA VIRGINIA MACEDO DE AZEVEDO
Interno - 1216466 - JOHN FONTENELE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 20/11/2014 10:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao