Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIA RIBEIRO GUIMARÃES DOMBROSKI

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIA RIBEIRO GUIMARÃES DOMBROSKI
DATA: 24/11/2014
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Aula da Pós-Graduação em Psicobiologia
TÍTULO:

Ecologia acústica de pares mães-filhote de baleia franca austral (Eubalaena australis) em águas costeiras do Sul do Brasil.


PALAVRAS-CHAVES:

Ecologia acústica, baleia franca, comportamento vocal, comunicação acústica, monitoramento acústico passivo.


PÁGINAS: 71
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Devido a vital importância da comunicação acústica para a sobrevivência e evolução de cetáceos, a investigação da ecologia acústica é fundamental para compreender a história de vida e para elaboração de medidas de conservação, manejo e pesquisa para golfinhos e baleias. O monitoramento acústico passivo (MAP) permite a convergência de soluções para questões conservacionistas e científicas e vêm sendo utilizado com sucesso para a examinar diversos aspectos da biologia de cetáceos. No entanto, sua aplicabilidade para ambos os fins depende da correta interpretação dos dados coletados e portanto de conhecimentos prévios sobre o comportamento e o repertório acústico da(s) espécie(s) alvo(s). O sul do Brasil é uma importante área de reprodução para baleias francas austrais (Eubalaena australis). Esta espécie ameaçada, agrega-se anualmente entre Julho e Novembro principalmente no Estado de Santa Catarina. Uma área de proteção ambiental (APA Baleia Franca) foi criada visando o manejo do ambiente utilizado pelas baleias, principalmente para o cuidado dos filhotes. Apesar de severamente afetada pela caça comercial, esta população vem se recuperando e o número de avistagens vem crescendo ao longo dos anos. No entanto, medidas de proteção são necessárias para assegurar a recuperação e para mitigar os efeitos de atividades antrópicas sobre as baleias. Visando construir conhecimento necessário para implementação de MAP como ferramenta de pesquisa e conservação da baleia franca no Brasil, o objetivo deste trabalho é reunir informações sobre a ecologia acústica de pares-mãe filhote da espécie. Sensores acústicos autônomos foram instalados em duas localidades na APA Baleia Franca e continuamente monitoraram o ambiente e vocalizações de baleias na área. Os dados resultantes serão empregados para descrição do repertório, investigação da adequação da categorização dos chamados e distribuição temporal de upcalls. Por meio da comparação de resultados obtidos através da detecção manual e automática de upcalls, o desempenho de uma ferramenta de detecção automática (originalmente programada para detectar vocalizações de baleias franca do Atlântico Norte) será avaliada. Observações comportamentais e gravações acústicas sincrônicas permitirão a estimativa de taxas de vocalização e identificação de variações na utilização de diferentes chamados de acordo com o estado comportamental dos pares.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1545394 - FULVIO AURELIO DE MORAIS FREIRE
Presidente - 1863735 - RENATA SANTORO DE SOUSA LIMA MOBLEY
Notícia cadastrada em: 19/11/2014 14:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao