Banca de DEFESA: IVANI BRYS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IVANI BRYS
DATA: 26/09/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Anfiteatro dos Anfíbios
TÍTULO:

Modelo animal da Doença de Parkinson baseado na expressão de alfa-sinucleína: caracterização comportamental, eletrofisiológica e avaliação dos efeitos da estimulação da medula espinhal


PALAVRAS-CHAVES:

Doença de Parkinson, alfa-sinucleína, circuito corticostriatal.


PÁGINAS: 93
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

A Doença de Parkinson (DP) está associada a sintomas motores e à perda de neurônios dopaminérgicos na via nigroestriatal. A proteína alfa-sinucleína é o principal componente dos corpos de Lewy, marcadores biológicos da doença, e tem sido associada a casos de Parkinson hereditário. Recentemente, a estimulação da medula espinhal (EME) tem se mostrado um método de neuromodulação efetivo em aliviar os sintomas parkinsonianos em modelos animais e pacientes humanos da DP. Nesse projeto, caracterizamos os efeitos motores e eletrofisiológicos da expressão de alfa-sinucleína na substância nigra de ratos. Além disso, investigamos os efeitos da administração de AMPT, L-dopa e da aplicação de EME nesse modelo. Método: Ratos Sprague-Dawley receberam injeção unilateral de vetor viral vazio ou para expressar alfa-sinucleína na substância nigra e foram avaliados semanalmente na tarefa do campo aberto e do cilindro. Um grupo separado de animais implantados com matrizes bilaterais de eletrodos no córtex motor e no estriado foram registrados semanalmente no campo aberto, durante as sessões de EME e nos experimentos farmacológicos. Resultados: A expressão de alfa-sinucleína resultou em assimetria motora, observada na redução do uso da pata contralateral na tarefa do cilindro. Os animais apresentaram aumento da atividade de potencial de campo local estriatal em beta após três e quatro semanas de expressão de alfa-sinucleína, que desapareceu a partir da quinta semana. A administração de AMPT resultou em um quadro parkinsoniano severo, com redução da atividade locomotora e significativo aparecimento do pico de atividade oscilatória em beta no estriado e no cortex desse modelo. A EME mostrou-se efetiva em aliviar a assimetria motora em longo prazo, mas não reduziu as oscilações corticostriatais de baixa frequência observadas 24 hs após a administração de AMPT. Essas oscilações foram atenuadas pela administração de L-dopa que, de forma semelhante à EME, não foi efetiva em restaurar a atividade locomotora dos animais durante esse quadro de depleção severa de dopamina. Discussão: O modelo alfa-sinucleína da DP reproduz o prejuízo motor e a condição progressiva do processo neurodegenerativo. Nós demonstramos, pela primeira vez, que esse modelo apresenta também aumento da atividade corticostriatal oscilatória na banda beta compatível com as características da doença e que a EME tem efeito terapêutico sobre o sintoma motor desse modelo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1299738 - ANTONIO PEREIRA JUNIOR
Externo ao Programa - 1369275 - CLECIO DE OLIVEIRA GODEIRO JUNIOR
Externo à Instituição - MARIANA FERREIRA PEREIRA DE ARAUJO - IINN
Externo à Instituição - RENAN CIPRIANO MOIOLI - IINN
Externo à Instituição - ROMULO ANTONIO FUENTES FLORES - IINN
Notícia cadastrada em: 16/09/2014 09:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao