Banca de DEFESA: IVON DE AZEVEDO FERREIRA LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IVON DE AZEVEDO FERREIRA LIMA
DATA: 09/05/2014
HORA: 13:00
LOCAL: Sala de Aula da Pós-Graduação em Psicobiologia
TÍTULO:

Efeitos do chá ayahuasca sobre o comportamento de ratos.


PALAVRAS-CHAVES:

Ayahuasca, Alucinógeno, Comportamento, Memória, Aprendizado, Ansiedade.


PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Poucos são os estudos acerca da bebida alucinógena ayahuasca (AYA). Originalmente ela era utilizada por tribos indígenas amazônicas, e atualmente foi também adotada por diversos movimentos sincréticos religiosos em seus rituais de comunhão. Como os outros alucinógenos, seus efeitos são mediados pelo agonismo de receptores serotoninérgicos do tipo 5-HT2A, presentes em alta densidade em regiões cerebrais do neocórtex, causando alterações na percepção e em diversos processos cognitivos, sem, no entanto, aparentemente causar dependência. Adicionalmente, os efeitos dos alucinógenos são altamente dependentes do ambiente e da expectativa do usuário, o que gera grandes dificuldades para os estudos em modelos animais. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi caracterizar em ratos os efeitos comportamentais da administração do chá ayahuasca. Para a avaliação do efeito agudo, foram utilizados ratos machos e fêmeas Wistar submetidos à administração por gavagem da ayahuasca 10, 50 e 100 mg/kg trinta minutos antes da exposição ao campo aberto (CA) ou a esquiva discriminativa (ED). Para avaliação crônica, foram utilizados apenas animais machos, a dose utilizada foi de 100 mg/kg ou maltodextrina por 16 gavagens com intervalo de 5 dias entre cada administração antes da exposição dos animais a tarefa ED. Posteriormente, uma nova gavagem (17ª) antecedeu a exposição dos animais as tarefas comportamentais da caixa claro e escuro e ao condicionamento de medo ao contexto. Os animais que receberam tratamento agudo com AYA apenas na dose de 10 mg/kg permaneceram maior tempo de exploração no centro do CA demonstrando um possível efeito ansiolítico, entretanto para os demais parâmetros comportamentais analisados não foram encontradas diferenças significativas. Os tratamentos com AYA (100 mg/kg) antes da sessão treino (AYA-H2O), ou antes da sessão teste (H2O-AYA), ou ainda antes do treino e do teste (AYA-AYA) da ED não alteraram a discriminação entre o braço aversivo versus não-aversivo, ou seja, não houve alterações na aprendizagem da tarefa para nenhum dos grupos testados. Por outro lado, animais do grupo AYA-AYA apresentaram prejuízo em discriminar o braço aversivo em relação ao não-aversivo, mostrando que esses animais apresentaram um déficit de evocação da tarefa. Além disso, os animais que receberam a administração de AYA-AYA apresentaram um aumento na exploração dos braços abertos na sessão teste, mostrando novamente um efeito ansiolítico desta bebida. Nenhum dos grupos testados apresentou alteração na atividade locomotora. Ainda, fêmeas testadas na ED não apresentaram qualquer alteração nos parâmetros descritos. O tratamento crônico com AYA não promoveu alterações nos processos de aprendizado e memória avaliados na ED. Também não foram observadas alterações na ansiedade ou atividade locomotora. Porém, o tratamento com AYA50 cronicamente diminuiu o tempo de permanência dos animais no compartimento escuro da caixa claro e escuro mostrando uma atividade ansiolítica desse composto. A exposição dos animais a tarefa medo condicionado ao contexto mostrou que animais tratados com a maior dose (100 mg/kg) demonstraram um aumento do comportamento de freezing. Assim, a ayahuasca usada agudamente apresentou um efeito ansiolítico, mas também um prejuízo na evocação de uma memória aversiva, já no tratamento crônico este prejuízo desaparece e o efeito ansiolítico permanece. Mais estudos são necessários para esclarecer a relação entre os efeitos da ayahuasca e potenciais alterações de emocionalidade podendo ou não refletir nos processos cognitivos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2527496 - ALESSANDRA MUSSI RIBEIRO
Externo à Instituição - JOSÉ RONALDO DOS SANTOS - UFS
Externo ao Programa - 1439078 - REGINA HELENA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 16/04/2014 15:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao