Banca de QUALIFICAÇÃO: ANNE CAROLINE DE OLIVEIRA COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: ANNE CAROLINE DE OLIVEIRA COSTA

DATA: 30/06/2011

HORA: 09:00

LOCAL: Sala 2 do PPgCF

TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇÃO DA METODOLOGIA ANALÍTICA PARA DOSEAMENTO DE FLAVONÓIDES POR CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIA (CLAE) EM FOLHAS DE Kalanchoe brasiliensis Cambess


PALAVRAS-CHAVES:

Flavonóides. Kalanchoe brasiliensis Camb. CLAE. Isolamento. Métodos analíticos.


PÁGINAS: 58

GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde

ÁREA: Farmácia

RESUMO:

Kalanchoe brasiliensis Cambess é pertencente à família Crassulácea, originária do Brasil e comumente encontrada de São Paulo até a Bahia, principalmente na zona litorânea e é conhecida popularmente como Saião, Coirama branca, Folha Grossa, Folha da Sorte e Folha da Costa. Há relatos do uso da espécie para tratamento de inflamação na mucosa oral, bronquite e congestão nasal, além do emprego desta planta no tratamento de infecções pulmonares e doenças inflamatórias crônicas como a artrite reumatóide. O presente trabalho tem como objetivo o desenvolvimento e validação de metodologia analítica para detecção e quantificação de flavonóides por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE) para aplicação nas análises da matéria-prima vegetal e produtos derivados das folhas de Kalanchoe brasiliensis Camb., bem como realizar o fracionamento, isolamento e identificação dos flavonóides majoritários da espécie vegetal. Foi realizada a preparação do extrato bruto das folhas de K. brasiliensis, submetido posteriormente a uma partição líquido-líquido, em funil de separação. Cada fração obtida foi analisada por Cromatografia em Camada Delgada (CCD). A fração acetato de etila foi escolhida para fracionamento por coluna cromatográfica do tipo flash. As frações A e B obtidas foram submetidas à cromatografia em coluna em gel de sílica 60 e posteriormente analisadas em CCD. Para desenvolvimento do método analítico foi realizada uma revisão na literatura para buscar sistemas cromatográficos por CLAE para análise dos flavonóides já descritos para as espécies de Kalanchoe, os ensaios preliminares foram iniciados utilizando a fração acetato de etila para aperfeiçoamento e/ou desenvolvimento do método mais adequado e posterior análise do extrato bruto padronizado por Matos (2009), na concentração de 1,0 mg/mL. A análise por CCD das frações diclorometano e acetato de etila e butanol demonstrou a presença de flavonóides em todas as frações, mas a fração acetato de etila apresentou uma maior diversidade, eleita para desenvolvimento do método por CLAE e para isolamento de flavonóides majoritários. O fracionamento da fração A apresentou a separação inicial dos compostos de maior polaridade seguidos dos compostos menos polares, verificando a seqüência de separação de duas bandas cromatográficas distintas (Rf 0,49 e 0,38). Quanto ao desenvolvimento analítico por CLAE, a metodologia 5 (fase móvel água/ácido fórmico (99,7:0,3) v/v e metanol/ácido Fórmico (99,7:0,3) v/v) apresentou melhor eluição das substâncias. O espectro UV dos picos majoritários obtidos na análise do extrato bruto é semelhante à patuletina 3-O-glicosídeo, o que sugere a presença de flavonóides derivados da patuletina 3-O-glicosídeo no extrato das folhas de K. brasiliensis.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 882.580.334-68 - LUIZ ALBERTO LIRA SOARES - UFPE
Interno - 1639820 - ARNOBIO ANTONIO DA SILVA JUNIOR
Externo ao Programa - 2565848 - KATTYA GYSELLE DE HOLANDA E SILVA
Notícia cadastrada em: 20/06/2011 09:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao