Banca de DEFESA: MANUELA MIGUELIA BEZERRA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MANUELA MIGUELIA BEZERRA DA SILVA
DATA : 11/03/2021
HORA: 10:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:

ESTUDO DA ASSOCIAÇÃO DA VITAMINA D COM A HEPATITE AUTOIMUNE


PALAVRAS-CHAVES:

hepatite autoimune, vitamina D, inflamação, pacientes pediátricos.


PÁGINAS: 79
RESUMO:

A hepatite autoimune (HAI) é uma doença hepática grave que afeta crianças e adultos em todo o mundo. Ela se desenvolve em indivíduos geneticamente susceptíveis quando um gatilho ambiental leva a uma resposta autoimune direcionada a autoantígenos hepáticos, envolvendo as células imunes, citocinas, auto-anticorpos e o sistema complemento. Nos últimos anos a atividade imunomoduladora da vitamina D vem sendo estudada e neste sentido a associação desta vitamina com as doenças autoimunes vêm sendo investigada, visto que ela atua nas vias de regulação que previnem e melhoram a inflamação e a imunidade. Assim, o presente estudo teve como objetivo avaliar a associação da vitamina D com a hepatite autoimune, por meio da avaliação do estado nutricional de vitamina D e da expressão dos genes que codificam o seu receptor (VDR) e as citocinas IL-6 e IL-10 em crianças e adolescentes com HAI. Para este fim, 30 voluntários (16 pacientes com diagnóstico de HAI - Grupo Caso e 14, sem o diagnóstico da doença - Grupo Controle) foram incluídos no estudo. Foi realizada a coleta de sangue periférico por punção venosa para avaliação do estado metabólico geral (parâmetros bioquímicos), quantificação da 25(OH)D3 e quantificação da expressão do RNAm de VDR, IL6 e IL10. Observou-se que a maioria dos pacientes com HAI é do sexo feminino com idade média de 14 anos. No tocante aos parâmetros bioquímicos, foram encontrados aumentos nas atividades de AST (aspartato aminotransferase), ALT (alanina aminotransferase), GGT (gama glutamil transferase), FAL (fosfatase alcalina) e LDH (lactato desidrogenase), para os pacientes com HAI quando comparados aos controles. Já em relação à vitamina D, observou-se uma grande frequência de indivíduos com valores abaixo do recomendado nos pacientes com HAI (71%), enquanto que nenhum dos indivíduos do grupo controle apresentou valores abaixo do recomendado, além disso observou-se uma correlação entre a expressão de IL10 com a quantificação da 25(OH)D, sugerindo que quanto menor a concentração de vitamina D, menor será a expressão de IL10. Assim, pode-se concluir que os pacientes do grupo caso mostram um perfil característico de pacientes com HAI compensados e que há indícios de que a vitamina D pode estar associada ao desenvolvimento da doença.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JOAO FELIPE BEZERRA - UFPB
Externa ao Programa - 1149505 - JUSSARA MELO DE CERQUEIRA MAIA
Presidente - 1055045 - MARCELA ABBOTT GALVAO URURAHY
Notícia cadastrada em: 22/02/2021 10:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao