Banca de QUALIFICAÇÃO: DAISY SOTERO CHACON

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DAISY SOTERO CHACON
DATA : 16/12/2019
HORA: 09:00
LOCAL: SALA 2 DO PPGCF
TÍTULO:

INTEGRAÇÃO DO TRANSCRIPTOMA, PROTEOMA E PERFIL METABÓLICO NA INVESTIGAÇÃO DA BIOSSÍNTESE DE ALCALOIDES DE Erythrina velutina Willd.


PALAVRAS-CHAVES:

Transcriptoma de Erythrina velutina; Biossíntese de alcaloides benzilisoquinolina; Bioma Caatinga; Proteoma; Perfil metabólico direcionado.


PÁGINAS: 135
RESUMO:

As plantas pertencentes ao gênero Erythrina são fontes de alcaloides tetracíclicos do tipo benzilisoquinolínicos encontrados no nordeste brasileiro, no bioma da Caatinga e utilizadas na medicina popular, principalmente como depressor do sistema nervoso central (sedativo, calmante). Um dos fatores limitantes que muitos produtos naturais apresentam como medicamentos é seu baixo rendimento e difícil obtenção em quantidades suficientes para abastecer a indústria farmacêutica. Dessa forma, de acordo com estudos de fronteira na área é importante compreender aspectos da biossíntese de alcaloides através de ferramentas moleculares. Este trabalho tem como objetivo contribuir e complementar o estudo na área de biossíntese no que se refere aos alcaloides presentes nas folhas e sementes da espécie Erythrina velutina Willd através das tecnologias ômicas (transcriptoma, proteoma e metaboloma (perfil metabólico)) de forma a compreender a dinâmica de produção dessas moléculas com potencial bioativo e subsidiar futuros estudos biotecnológicos. Portanto, para a investigação realizamos o sequenciamento de novo pela primeira vez em uma espécie do gênero e em uma planta nativa do bioma Caatinga. A análise do proteoma e do perfil metabólico alvo foram realizados com uma estratégia de Cromatografia líquida acoplada a espectrometria de massas [LC-MS/MS]. Como resultado, identificamos 16 genes e 4 proteínas candidatos a compor a via biossintética dos alcaloides isoquinolínicos em sementes e folhas desta espécie. Além disso, anotamos a identidade de 29 alcaloides em ambos órgãos vegetais. Esses dados contribuem com conhecimento cientifico no delineamento de estratégias de intervenção biotecnológica para estudos futuros, a fim de melhorar a produção dessas moléculas bioativas na planta, além da valorização de uma planta da Caatinga do RN como fonte de alcaloides com potencial interesse farmacêutico.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2323511 - ADRIANA AUGUSTO DE REZENDE
Interno - 1893445 - EUZEBIO GUIMARAES BARBOSA
Externa ao Programa - 1453487 - KATIA CASTANHO SCORTECCI
Notícia cadastrada em: 16/12/2019 08:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao