Banca de DEFESA: MARIANE BARRETO DAS CHAGAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIANE BARRETO DAS CHAGAS
DATA : 31/07/2018
HORA: 08:30
LOCAL: SALA DE VIDEOCONFERÊNCIA POP-RN
TÍTULO:

REAÇÕES BIOMIMÉTICAS COM METALOPORFIRINAS DE METABÓLITOS SECUNDÁRIOS DAS FOLHAS DE PASSIFLORA EDULIS var. FLAVICARPA DEGENER


PALAVRAS-CHAVES:

orientina. isoorientina. Mn(3MeOSalen)Cl. catalisador de Jacobsen.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

A orientina e a isoorientina são flavonoides c-glicosídicos e marcadores da espécie vegetal Passiflora edulis var. flavicarpa e de outras espécies vegetais, as quais são reportadas na literatura por suas diversas propriedades farmacológicas. Entretanto, todas estas espécies possuem um problema comum a outros candidatos a medicamentos que é a escassez de estudos sobre o metabolismo e farmacocinética dos extratos e principalmente de seus marcadores que são essenciais para comprovar a segurança e eficácia destes candidatos a novos fármacos. Com o desenvolvimento do modelo biomimético com metaloporfirinas, reações de biotransformação são simuladas para caracterizar o metabolismo in vitro e fornecer diversos produtos, os quais podem ser posteriormente identificados como metabólitos e auxiliar na redução do número de animais necessários nesta fase do estudo. Assim, através das técnicas de cromatografia em coluna clássica e CLAE, isolou-se a orientina e a isoorientina a partir do extrato de P. edulis. Estes flavonoides foram submetidos às reações com os oxidantes m-CPBA e PhIO e catalisadas pelo catalisador de Jacobsen (Mn (Salen)), um catalisador eficiente e de fácil síntese e purificação, além do catalisador sintetizado Mn(3MeOSalen)Cl, derivado de Salen ainda inédito em reações biomiméticas o qual foi caracterizado com maior potencial de oxidação. A reação da isoorientina com m-CPBA na proporção 1:20:20 (catalisador:oxidante:flavonoide) apresentou um maior consumo do substrato para ambos os catalisadores enquanto que a reação da orientina com PhIO na proporção 1:10:10 apresentou um maior consumo do substrato também para ambos catalisadores. A melhor condição foi otimizada evidenciando que os isômeros orientina e isoorientina apresentam reatividade diferente. Além disso, os produtos de reação, 3 da orientina e 5 da isoorientina, foram caracterizados por LC-MS e LC-MS/MS. Esses produtos reacionais não foram encontrados na literatura, entretanto se destaca a formação de epóxidos que são altamente reativos e podem causar toxicidade. Desta forma, este estudo pode servir de base para a realização de posteriores estudos farmacológicos e toxicológicos que confirmem a presença destes compostos como metabólitos de fase I e assegurem a segurança na utilização de produtos vegetais que possuam a isoorientina e orientina como marcadores.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1490222 - SILVANA MARIA ZUCOLOTTO LANGASSNER
Externo ao Programa - 2140814 - FERNANDO HENRIQUE ANDRADE NOGUEIRA
Externo ao Programa - 2276354 - LEANDRO DE SANTIS FERREIRA
Externo à Instituição - IVANILDES VASCONCELOS RODRIGUES - UFJF
Notícia cadastrada em: 13/07/2018 10:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao